Moleton de tigre: pirataria ou democratização
11 de julho de 2013 POR Jojo COMENTA AQUI!
No outono/inverno de 2012 (em dias de fast fashion, traduza 2012 como “há uma eternidade”), a Kenzo desfilou pelas passarelas modelitos de moleton bordados com um tigre colorido e o nome da marca grandão bem na boca do bicho.

Com versões em tricô e moleton, o tigre era uma tentativa de criar uma noa iconografia para a marca que há anos ía muito mais pro lado das flores (lembram do perfume “Flower, by Kenzo”?).

O tal moleton foi, na verdade, ideia de Humberto Leon (designer da marca junto com sua parceira de longa data Carol Lim – os dois são também donos na ultra cool Opening Ceremony), tudo porque ele queria um moleton exatamente assim para usar na entrada final do desfile. Acabou mandando produzir alguns pra ele e para as modelos e se viu surpresíssimo quando os pedidos das lojas começaram a chegar pedindo justamente a peça.

Da passarela para as revistas foi um pulo. Capa e editoriais de moda ao redor do mundo incluíram o novo tigre asiático na lista de must have’s de fashionistas nos quatro cantos.

Daí para o corpitcho das blogueiras de moda também não demorou. Na temporada de moda seguinte, a cor que mais se via em blogues de streetstyle era o verde be Kenzo estampado em mulheres magras e com cara de bem-nascidas desfilando alegremente o melhor estilo hi-lo (agora você imagina a frustração da criatura toda montada, que conseguiu comprar – ou ganhar – o seu moleton mais it da estação e chega no desfile pra ver a culega com um igual? Aposto que rolou barraco fashion em algum momento).

Ok. Corta. Isso já faz um tempito. Por que que eu tô falando disso agora?Ah! Lembrei. Tarra eu lá no Japão e entro na H&M. Primeira coisa que eu vejo? Um moleton de tigre. Ok, desde a década de 80 que tigre e moleton andam juntos. Mas as semelhanças entre o moleton H&M e o moleton Kenzo vão muito além da coincidência. Continuei a minha volta na loja e deixei pra lá.

Corta de novo. Semana passada. Voltinha semanal pela Zara pra saber o que tá rolando. Dou de cara com, não 1, não 2, mas 3 moletons de tigre. Diga agora comigo: 1 tigre, dois tigres, três tigres.

Pra vocês entenderem do que eu tô falando, olha só:

Pois bem. Quem sou eu pra julgar. Na verdade, não tenho uma opinião formada sobre o assunto. Por um lado, acho surreal que as marcas copiem alguma coisa tão descaradamente. E fico pensando até no designer que está por trás do modelinho da Zara ou da H&M (ou de centenas de outras que devem ter copiado) que, coitado, não consegue pôr a sua criatividade em prática porque só tá copiando mais ou menos uma coisa que um outro cara criou.

Mas, por outro lado, não é baseado nisso que as marcas de fast fashion existem? E não é essa a base a democratização da moda?

Sei lá, sempre fico nessa dúvida. Do mesmo jeito que fico em cima do muro sobre o quanto seguir a moda e o quanto deixar a moda te seguir e desencanar um pouco. Se você for pensar, a palavra “seguir” já é malvada, né? Significa que você está sempre atrás da moda e nunca na frente dela.

Enfim… Voltemos ao moleton (como vocês podem ver, ando pensando muito nele). A minha leitura dessa coisa toda? Eu amo moleton. Acho eles quentinhos, confortáveis, esportivos e cheios de possibilidades. Por isso, eu uso e fiquei feliz em saber que eles estão com tudo (obrigada Kenzo). Por outro lado, não me fascina muito essa coisa de todo mundo usar a mesma estampa (eu ía ser daquelas #chatiadas com o fato de ter mais uma mulherada com o mesmo moleton que eu no desfile).

Foi partindo disso que montei o look de hoje: dando um like pro moleton e um outro like pra uma estampa geométrica e colorida, longe de qualquer animal selvagem.

E, como o moleton é deveras informal e esportivo, complementei o bichinho com uma saia de plumas bicolor. Upgrade de glamour imediato.

O cabelo de trancinhas e o óculos prateado deram bons complementos por conta de ser um look pro dia.

É isso, gente. E vocês? Acham o que dessa história de copiar coisas de marcas grandes e fortes? Pirataria ou democratização? Conta aí, minha gente!

Créditos:

Saia: Zara
Moleton: Topshop
Relógio: brechó em Buenos Aires
Óculos: Zara
Sapatos: Arezzo

  • Bem, Jojo, respondendo às perguntas, eu sou a favor da "cópia" das fast fashion pq, como vc msm disse, é pra isso [entre outras coisas] que elas existem…

    Nem todo mundo pode comprar o grifado né? E a maioria quer ter algo relacionado ao que andam desfilando por aí.

    Eu, pessoalmente, tenho uma certa preguiça. E não gosto de moletom, então acho que se ganhasse o tal moletom de tigre da Kenzo, repassaria hahahaha

    =**

  • Anônimo
  • Acho que as fast fashions tentam releituras do que está na moda. Acredito q muito pouca gente possa pagar o preço de um moletton Kenzo. As lojas de departamento estão ai pra isso. Vc compra uma peça q vai estar na moda por no máximo + 6 meses por um valor digno.

    Curti MUITO seu look. Só uma pergunta: como foi passar o dia todo com a de plumas ? ela chegou ao final do dia inteira ?

  • Acho que só copiam, poq sabem que tem gente que compra! Não vejo tanto problema nisso, mas acho que é poq não sou estilista rs… enfim, viva o antropofagismo da moda! rs

  • Existe originalidade em alguma coisa? As grandes marcas também não copiam a "moda" da rua? Tudo em nome da releitura ou outro nome chique qualquer, mas a verdade é: simulacro do simulacro.

    Mas o que importa mesmo, no caso do post, é o aconchego do moleton 🙂

  • Anônimo

    uma vergonha!!! veja na c&a a copia que fizeram, muita mais descarada do que essas marcas que vc esta citando, a marca caleche com loja no iguatemi de alphaville fez uma copia mesmo, exatamente igual!!!!! repito vergonha!!!!!

  • Anônimo

    DEMOCRATIZAÇÃO !!!
    super a favor nao é todo mundo que pode comprar nessas marcas e depois apartir desse modelo se deriva outros pq nada se cria tudo se transfoma por ex vc usou essa inspiraçao para o look de hoje ou nao ?
    bjoks curte seu blog…

  • Adorei a ousadia do look! Mas com relação à copiança, eu acho que, tirando tédio que deve dar na cabeça do "estilista" da fasta fashion, nós, pobres assalariadas, somos as maiores beneficiadas e desafiadas. Isso porque podemos ter acesso a várias possibilidades, mas temos que quebrar a cabeça pra não sair andando uniformizada poraí. Acho que referência é tudo! O moletom do Kenzo certamente influenciou a volta dos moletons ao nosso rol de "roupas de sair", mas não precisamos comprar cópias. Eu, pelo menos, não preciso e nem quero. Gosto de fazer como você fez: pegar a referência e usar algo diferente, algo que tem a minha cara, e não a cara da moda.

  • Achei ótimo o post! O look (sem tigre) ficou mara! Saia com penas é tudo na vida, ainda mais com moleton. Ótima idéia! Vou aplicar.
    Quanto à questão em questão, confesso que acho estranho esse movimento de todo mundo andar parecido (tenho que me segurar!) e não compro essas estampas batidonas. Mas acho bom ter opções "inspired" para quem quiser entrar na onda sem gastar fortunas. Sou super a favor! Mas concordo que, pra isso, é preciso ter designers sem gosto por criação. Mas às vezes é tão bom entrar na Zaroca e encontrar aquela peça desejo por um preço acessível.
    Beijos,
    Júlia
    http://www.vestidodeletras.com

  • Amei o contraste da sweat com a saia arranjadinha!

    <3
    http://zazzish.blogspot.pt/

  • Acho que se moleton de tigre tá no moda, deixa cada um fazer sua versão, só n pode copiar o desenho do coleguinha, mas uma versão acho democrático.

    Quanto a seguir a moda, eu sigo o que eu gosto, o que combina com meu armário e o que eu vou poder usar por mais tempo do que o momento da febre. O resto a gente deseja mas sabe que não vale a pena.

    Bjuu

  • No caso, o problema nem foi a cópia, foi a feiúra
    das peças, anos-luz distantes das lindas Kenzo. Não dá nem para chamar de releitura.

  • Look lindo como sempre! Essa saia da Zara é um sonho!

    Beijos.
    K

    http://www.modak.com.br

  • Mariana

    Adorei o look! Só fiquei curiosa pra saber aonde foi que você usou ele!! não é um "look trabalho", né? kkkkkk achei bastante conceitual, mas bem pensado, ficou criativo e diferente, parabéns! bjjs

  • Anônimo

    Também não tenho uma opinião formada sobre o assunto…. Mas acho que, se não for uma cópia descarada e mal feita, não tem problema. Mas usar como inspiração e seguir a onda das marcas grifadas, é uma boa para quem curte a tendência mas não tem como torrar dois salários em uma peça de roupa!

  • Marcinha B.

    Olá!
    Bom sou designer de moda, trabalho com desenvolvimento e sei bem como é estar dos dois lados, criando ou consumindo.
    Penso que hoje não existe mais "moda", existe roupas e pessoas…
    O mesmo moletom em um grupo de pessoas pode estar inserido de mil maneiras diferentes e muitas vezes nem parecer o mesmo.
    Acredito que a moda se populariza cada vez mais rápido e nem sempre é uma questão de copiar, as vezes é questão de poder dar uma oportunidade aos menos abastados de poder usar uma peça bacana, estilosa com cara daquele look visto em algum editorial e amado, mas que passa longe do bolso. Acredite o consumidor das classes mais baixas ansia pelas peças, existe muita gente antenada e sem condições de um Kenzo por exemplo.
    Quantas vezes a maioria das mulheres viu um vestido lindo de festas em revistas e levou para a costureira do bairro fazer algo parecido, então não é copiar, é criar uma possibilidade acessivel.
    É poder estar linda, moderna, com um novo recorte, uma nova estampa e isso tudo caber no seu bolso.

    Tá ai a minha opinião, já fiz fast fashion, já trabalhei com criações exclussivas e digo nunca fica igual e o prazer de ver uma peça pronta é sem igual, o prazer de ver alguém se sentindo linda, maravilhosa usando algo que vc fez, mesmo que em alguns casos só tenha escolhido o tecido rsrsrs…

    Bjinhos
    Marcinha

  • Anônimo

    Esse, para mim, foi o melhor look do ano Jo!!!!!!

    Sobre a polêmica, acho errado quando há falsificação (estilo ebay vendendo moletons KenSo, ou uma loja aqui da minha cidade que tem O moletom KenZo, por 120 reais, e é boutique! #vergonhaalheia)ou quando marcas de fast fashion produzem o mesmo produto – vulgo, compram do mesmo fornecedor chinês – e colocam preços absurdos ou mesmo dizem que é criação da loja…

  • Alline

    Uma dúvida: é você mesma quem faz esses penteados lindos?

  • Anônimo

    Que linda! Ultimamente você está mais criativa novamente, e indo muito bem nessa vibe. Continue assim, quando você fica fashionista demais o blog fica um saquinho. :3

  • Eu acho que é democratização, já que a grande maioria dos brasileiros não tem acesso a esse tipo de griffe!!!
    É uma ótima oportunidade de manter todos por dentro da moda

  • Anônimo

    Democratização e, neste caso, feia! Adorei o post. Bj. Cris

  • Bom, eu sou totalmente contra a cópia. É o que a Miranda do Diabo Veste Prada fala no filme (sobre a blusa azul horrível da Andy – Anne Hathaway), é a questão do direito autoral, ou então milhões em pesquisa gastos para lançar algo inovador no mercado e que agrade e atenda aos desejos dos consumidores, afinal por trás das grandes marcas tbém existem investimentos e mais um monte de gente trabalhando. As fast fashion podem copiar a tendência: moletom com pegada fashion, mas não a mesma estampa. E o que dizer de Vivara x Pandora que para mim é a pior cópia que uma grande marca poderia fazer. Utilizar um ícone de uma marca internacional e lançar igualzinha aqui no Brasil, achei um desrespeito com a concorrência e uma falta de identidade muito grande. Seja criativo, inove, invente, reinvente, mas não cópia fiel, certo? Concorrência sadia é isso. E quem ganha somos nós que temos opções de escolha, pois se não posso ter a blusa de estampa do tigre (que nem gosto), pode ser de outro bicho, enfim… discussão longa e que envolve a ética!

  • Anônimo

    Jô acredito que é um looping eterno do tipo "quem nasceu primeiro o ovo ou a galinha". É bacana poder comprar uma peça grifada e é legal comprar algo inspirado. Mas é preciso diferenciar aquela modinha chiclete de peças que poderei aproveitar mais temporadas. Verifico a cor, os tecidos. E quando quero adquirir algo dou uma olhada primeiro nas populares para ver de que modo estão destacando um modelo ou estampa. E assim avalio o custo benefício da grifada ou da popular. Desde que eu ame o look vou atrás.

  • Anônimo

    Acho que pirataria seria quando o produto é idêntico ao original, tem bolsas da LV que nem se eu pudesse comprar eu pagaria caro em modelos que vemos a cada banquinha na esquina.
    Não sou a favor de imitar o produto, mas sim de se inspirar neste. Até por que nem todo mundo tem condições de comprar grandes grifes, mas todos querem estar um pouco na moda.
    Mas concordo com a colega de cima, eu não curto muito usar o que todo mundo ta usando, você sai na rua e encontra milhares com a mesma peça sua.
    Eu acho que é preciso mais identidade e personalidade na hora de se vestir.

    Bjs

  • Já tinha me deparado com esse moletom da Kenzo e bom … agora está totalmente massificado né? Vende de montão no ebay! Agora, amei seu look! Tá super legal e essa saia é um arraso! Já te disseram que você tem cara de atriz? haha beijoss
    http://www.closetinamess.wordpress.com

  • Anônimo

    Acho que cópia descarada é feio… mas essas coisas tem que ser difundidas. Eu não posso comprar o original, mas me dou bem com o preço da zara. Então acho que falsificar é feio, mas ser uma "inspiração", okay. E tá linda Jojo!

  • Só eu que vejo um tigre nessa estampa geométrica? Olha bem, parecem os traços de um! Na hora que vi a foto, antes de ler a legenda eu pensei "olha que diferente, mas não deixa de ser um tigre, dôrei!"

  • Adorei! Engraçado porque coloquei hoje no meu blog um "visú" que fiz com um sweater(fininho) que comprei numa feira de malhas aqui em Belo Horizonte, foi bem baratinho (25 reais) e acho que a origem da inspiração pode ter sido aí! Já tinha visto imagens deste moleton kenzo, mas só liguei os pontos com seu texto. Vou te "linkar" lá, ok?

    Acho que quando é inspiração é bem válido, acho muito legítimo pegar a referência e criar uma peça mais acessível. Mas cópia descarada, como no caso de uma bolsa de moleton da zara de tempos atrás, eu não curto. Aí fica parecendo desonestidade pura e simples. Mas definir o limite entre um e outro é algo difícil mesmo, quase uma "metafísica da criação da moda"…

    Ps. adoro seu blog, venho aqui a séculos, mas sou daquelas leitoras fantasmas que olham sem comentar. Mas eu to me regenerando hehehe…
    Beijo!

  • tati

    Jojo, acho válido olhar o que está na moda (inventado por pessoas criativas e reproduzido nas fast fashion)e escolher o que tem a ver com nosso estilo de ser e viver.
    Por exemplo, adorei essa questão do moletom sair da informalidade e ir pras passarelas, pras baladas, misturado com couro e paetê!No melhor estilo hi-lo!
    Mas não usaria de forma alguma uma cópia da peça da Kenzo… acredito que a moda serve pra nos individualizar,pra nos fazer sentir únicas, e não bonecas sem personalidade reproduzidas em série!

  • Anônimo

    Olá Joana, primeiramente parabéns pelo seu blogs e looks inspiradores.
    Sempre muito criativa, estilosa e não escrava da MODA.
    Já fico imaginando na primavera/verão aquela mulherada toda com estampas de azulejo, vai ser uma loucura rsrsrs.
    Moro em Foz do Iguaçu coladinho no Paraguai, então imagine a quantidade de réplicas que tem por lá.
    Já vi esse moletom em vitrine aqui em Foz, não entrei nessa, pois acredito que posso usar outro moletom mais estiloso e que não seja usável apenas naquele inverno, porque imagina usar um moletom da coleção passada.rsrs
    Adoro seu blog, sucesso sempre!!!

  • Anônimo

    Odeio moletom, acho roupa de ficar em casa, mas seu look hi-lo ficou lindo! Parabéns! Muito mais bonito do que o Kenzo, que esta muito "cheguei" e nada arrumado! Beijos

  • Ana

    Eu acho que marcas que servem como referência servem a um propósito de justamente popularizar modelos e estampas, e nada mais natural que outras marcas adiram à tendência para vender também, uma vez que as pessoas em grande parte procuram coisas que foram popularizadas mas a um preço mais acessível…

  • Viva a democracia!!!
    Adorei o post.

  • Tá, eu sei que não tem nada haver com seu blog, mas se você pudesse responder a uma TAG que deixei no meu blog seria ótimo…
    Sou viciada no seu blog e te acompanho sempre, entrei para o mundo das blogueiras a pouco e me passaram uma Tag, achei legal responder, e achei legal compartilhar com você…

    Beijos querida e muitas bençãos!!

  • Amei o moleton. Mas a saia… parece fantasia de carnaval! Rs…

  • Anônimo

    Olá! Esta é a minha primeira vez comentando aqui. Gosto muito do seu blog, parabéns! Plágio e falsificação são crimes, mas a questão das supostas cópias é bem mais complicada, pois dificilmente saberemos quem copiou de quem. Tenho 42 anos e acredito que quase tudo que é produzido atualmente, em termos de roupas e acessórios, é cópia. Inclusive no caso do seu exemplo: o Tigre no moleton Kenzo. Digo isso porque eu tive um moleton praticamente igual, na minha adolescência, nos anos 80, no Rio de Janeiro. Sim, foi isso mesmo que você leu: moleton quase igual, neste tom de verde (minha cor predileta)com a cara do tigre e a marca escrita embaixo. Comprado no Rio de Janeiro. Então, a marca Kenzo não tem do que reclamar, já que certamente copiou de alguém, como praticamente todas as marcas fazem atualmente. beijo e sucesso pra você! Alexandra

  • Anônimo

    Mais ou meos o que ocorre com a moda de caveiras, crânios. Esses elementos fazem parte do meu visual desde a adolescência, já que sou roqueira. O Herchcovit trabalhou muito bem com a temática durante anos. Mas agora as caveiras estão soltas por aí, então eu tive que guardar as minhas porque, até a minha tia comprou uma na CeA ou Riachuelo. E essa moda está durando mais de um ano pelos meus cálculos e acho que está longe de acabar. É caveira demais- overdose kkkkk

  • Mayara Franca

    Jojoooo! Adorei a forma que vc escreveu seus últimos posts, muito bem escritos e criativos, super me envolveu. 🙂
    E adorei o seu questionamento sobre a moda, sobra a democratização ou pirataria, é foda, e acho que é um pensamentos e perguntas que toda mulher que se preocupa com isso, tem em algum momento. Eu penso nisso as vezes, principalmente se está olhando vitrines, vira um padrão que todo mundo usa e a moda perde sua graça, fica todo mundo igual. Acho legal ter um estilo próprio, independente do que está vendido, acho que vc super faz isso, e eu tento fazer também com as coisas que eu gosto de usar e com o meu estilo próprio. Eu super usaria esse seu moletom, e não o de tigre, assim como gostar de usar coisas que fogem do padrão, não gosto quando de parecem comigo, hahaha.
    Enfim, amei o look. Como sempre!

  • Anônimo

    Adoreeeei essa saia!

    Brianda