Um verão ao som de samba
28 de dezembro de 2014 POR Jojo COMENTA AQUI!

Acho que não há cidade no mundo que tenha sido mais cantada do que o Rio de Janeiro. E quem chega no Rio ali pelo Santos Dummont num dia de sol entende direitinho por quê.

Mas, talvez, o gênero musical que mais entenda o Rio seja aquele que floresceu por aqui. O samba tem cara de Rio, tem ginga de Rio, tem charme e esperteza de Rio. O samba tem calor de verão carioca e descontração de menino malandro. Não é por nada que o tal do samba nunca fica velho. Pelo contrário. Nascido entre os escravos, lááááá no século XIX, hoje ele está mais moço do que nunca e embala dias e noites quentes de gente de todo jeito. O samba é assim, ele agrega, aceita, convida. Igualzinho ao Rio.

Por tudo isso, um verão no Rio não seria completo sem um bom samba. Nesse tempo aqui, a gente já foi em dois. Um bem diferente do outro, ambos deliciosamente cariocas. São eles:

Samba da Pedra do Sal:
O Morro da Conceição, ali do ladinho da Praça Mauá, ficou conhecido como Pedra do Sal ainda no século XIX por ser o local onde se escoava o sal que chegava do porto. Hoje, o lugar abriga, toda segunda-feira, uma roda de samba animada que reúne gente de vários cantos da cidade. Pra completar, (e matar aquela fome que surge depois de tanto sambar) dá pra comer um acarajé frito na hora da baiana que fica ali no cantinho do largo.

Samba Luzia:
O Clube Santa Luzia não poderia ser melhor localizado. Fica coladinho no Santos Dummont, com a vista da Baía de Guanabara de um lado e o Corcovado do outro. Lá no terraço do clube, toda sexta-feira, rola roda de samba que vara a madrugada, sempre com um convidado daqueles peso-pesado.  A entrada custa R$25,00 e vale cada centavinho.

Bem, dito isso, vamos falar de roupa pra sambar? Hoje a gente ia pra um outro samba lá no Méier de uns amigos do boy. Acabamos não indo porque, depois de voltar pra casa às 5 da matina do Smaba Luzia, hoje o corpinho pediu arrego. Mas o look tava todo prontinho pra cair no samba e eu resolvi mostrar aqui.

A verdade é que samba exige charme e conforto. E o verão no Rio exige muita leveza. E cada elemento desse look foi pensado levando em consideração essas três coisas: charme, conforto e refrescância.

Pra começar, eu quis prender o cabelo todinho. Nada como deixar o pescocinho de fora nesse calor e poder dançar e se acabar sem se preocupar com a franja que foi pra um lado ou pro outro. Pra prender tudo e ainda dar um toque de personalidade pra história, escolhi amarrar um lenço maiorzão na cabeça em clima de turbante mesmo. Ele é de algodão, super fresquinho e eu adorei o resultado.

Pra acompanhar o turbante, fui no básico: shortinho e camiseta soltinha. Bem fresco, bem confortável. Pra dar o charme, acrescentei esse quimono bem levinho.

E nada como uma peça que se move bem pra ajudar a gente a fazer bonito dançando, né? Olha o gingado bonito do quimoninho!

Por fim, cês sabem que eu sempre falo que são os detalhes que fazem a diferença. Entonces, finalizei o look com esse colar de corda (presente da Tati, minha amiga e designer da MyFots, quem conhece?). Ando louca de amores por ele.

Pronto! Prontinha pra cair no samba.

Créditos:

Short: Lee Loo
Blusinha: Forever 21
Tricô: Zara
Colar: MyFots
Óculos: Ray Ban
Turbante: American Apparel

 

  • Nunca encontro um turbante giro nas lojas portuguesas.

  • ameiii!! um dos looks mais lindos!!

  • Ficou linda!
    Conhece o Samba do Ouvidor? Fica na Ouvidor (óhhh) com Rua do Mercado, ali pertinho da Praça XV. Dois sábados por mês, "di gratis", é muito gostoso!
    Boa temporada carioca!

  • Olá gostei muito do seu blog, criei um ontem dá uma olhadinha —>>> http://littlelifeofander.blogspot.com.br/ beijinhos!

  • Jojo, e o sapato ideal, qual seria?
    Beijo 🙂