Post patrocinado: Carpe diem fashion
27 de janeiro de 2015 POR Jojo COMENTA AQUI!
“Ai, não vou usar que gasta.”Eu aposto que você já disse essa frase alguma vez na vida ao se referir a algum vestido/blusa/saia/calça/meia recém comprada e que você estava “guardando” para o surgimento de uma ocasião especial.

Eu também já fui assim, minha amiga. Como dizem por aí: já fui dessas. Já achei aquele vestido lindo, num momento em que não tinha nenhuma festa prevista no calendário, comprei (porque a gente bem sabe que, quando a festa tá ali na esquina, o tal vestido nunca aparece) e deixei ele guardado no armário pegando poeira, esperando o momento certo de usar.

Mas eu mudei, minha amiga. Depois de ficar um ano sem comprar você vai me entender. Quando a necessidade aperta, você descobre que qualquer dia é dia de usar o que se tem. E isso não serve só pra roupa inédita não. Também estamos falando daquele vestido que você usou uma vez (naquela ocasião especial que a gente mencionou aqui em cima) e depois ele nunca mais viu a luz do dia. Aquele mesmo que você usou pra ir num casamento mára de dia e agora? Onde ele tá?

Agora me fala: pra que serve uma roupa que fica guardada no armário esperando o seu dia chegar? Pois é, ao longo do meu ano sem compras, eu percebi que guardar roupa não servia de nada e que esse medo da roupa ficar “marcada” e todo mundo lembrar dela e achar que você usa uniforme porque tá sempre igual é uma grande bobagem. Especialmente porque, como a gente vê aqui no blog cotidianamente, cada roupa nos abre um mundo de possibilidades diferentes. Basta colocar a cabeça pra funcionar pra descobrir esses jeitos lindos e diferentes de usar.

Pra provar o que eu tô falando, resolvi pegar um vestido desses bem bacanudos, coisa chique mesmo e mostrar como dá pra usar ele no dia a dia. Cês lembram que a gente fez uma Sexta Casamenteira sobre vestidos de madrinha/convidadas para casamentos de dia com os vestidos da linha pret a porter da Emannuelle Junqueira? Pois bem, a Mannu me emprestou um outro vestido, da mesma linha, bem cheio da elegância para eu fazer o meu experimento. Vamos a ele:

Primeiro look, vestido em sua totalidade. Ele é muito legal porque já tem uma carinha de saia+blusa, por conta da parte de cima blusada e da parte de baixo com cara de saia lápis bem justinha. Mas a elegância mesmo fica por conta da transparência na parte de cima que deixa as costas peladonas.

Eu usei com cabelo solto e open boot pra dar aquela descontraída e trazer uma jovialidade pro look. Mas, imagina só ele com cabelo presinho e sandália mais delicada… Chiquê.

Bem, para a mudança radical, o meu carpe diem fashion, bastou tacar uma camiseta listrada por cima e arrematar com um nozinho charmoso. (semana passada um monte de gente veio me perguntar sobre como faz pra camisa virar blusa, resolvi fazer assim pra começarmos do inicio – tipo: lição 1 de usar vestido como saia)

Mantive os sapatos e incluí uma maxi carteira branca, além de óculos azul claro espelhados. E tudo acabou ficando com cara de navy (quem não ama?)

Pronto: um vestido lindo e chique e elegante e dois jeitos de usar. Um deles dá pra você almoçar com as amigas nesse final de semana (esse mesmo, daqui a 4 dias!).

Então vamo parar com essa bobagem de que roupa boa, linda e chique só pode sair do armário em dia de festa? Todo dia deve ser celebrado, minha gente. E em todos eles você merece se sentir linda (além, claro, de fazer valer o seu suado dinheirinho gasto em cada peça de roupa).

Créditos:

Look 1
Vestido: Emannuelle Junqueira
Sapato: Zara

Look 2
Vestido: Emannuelle Junqueira
Sapato: Zara
Carteira: Zara
Óculos: zara

  • Gil

    É por isso que eu adoro teu blog, mulher! Super me tocou, esse post! Ainda sou dessas que guarda roupa por "estilos"' e " ocasiões", mas 2015 é meu ano de mudar isso!Já ta mudando! E esse blog vai e ajudar mto!

  • Mylla

    Jojô, você está tão linda!!! Deve ser a felicidade do casamento chegando. Seu sorriso tem outra vibe!!!

    Felicidades nessa fase incrível!

  • Ana

    Concordo! Venho tentado colocar isso em prática também. Ora, se é para usar uma vez a cada década, não tenho real necessidade daquilo. Mantendo isso na cabeça e isso me ajuda a não comprar o que não preciso, desapegar do que não uso e usar tudo o que me faz sentir bem a qualquer dia!