Somos todas plus size?
23 de abril de 2015 POR Jojo COMENTA AQUI!
Adoro seguir o BuzzFeed. Além das listas que me fazem chorar de rir, eles estão sempre fazendo matérias geniais abordando assuntos sérios de um jeito que ninguém nunca fez antes.O meu mais novo artigo preferido é esse aqui. Em que duas mulheres  resolvem mostrar a diferença entre como uma roupa plus size veste numa modelo considerada plus size e como ela veste numa pessoa normal.

Kristin e Sheridan contam sobre suas experiências comprando roupas pela internet e como elas se sentem quando recebem as roupas em casa. Segundo elas, infelizmente, tamanhos maiores ainda não são uma realidade em boa parte das lojas físicas (mesmo aqui nos EUA) e, maioria das vezes, elas tem que recorrer a internet pra encontrarem o que querem. O problema é que, pra fazerem suas escolhas online, tem que abrir mão de experimentar as peças e confiar somente nas fotos das modelos vestindo as roupas. Mas as modelos plus size dificilmente refletem a realidade da mulher mais cheinha e a compra de uma peça nova que deveria fazer com que as moças se sentissem bonitas e felizes consigo mesmas, tem exatamente o efeito contrário, jogando a auto-estima lá embaixo.

A maneira como Kristin e Sheridan lidam com o assunto na matéria é divertido e sarcástico, mas demonstra um problema sério que não diz respeito somente a mulheres consideradas plus size.

Você já parou pra pensar em como somos todas “plus size” aos olhos da moda? Você que veste 40, ou 42, entra nos sites pra comprar uma roupa e dá de cara com o que? Uma modelo que veste 36. Vai me dizer que a roupa vai chegar em casa e vai ficar igual ao que fica na modelo?

Eu visto 40, não sou muito voluptuosa, nunca tive muito peito, muita bunda, mas hoje sou feliz com o corpo que tenho. Mesmo assim, confesso que, muitas vezes, já me identifiquei mais com as modelos plus size dos sites do que com as modelos magrinhas que usam 36. E isso sempre me faz questionar: qual percentual da população realmente se identifica com a modelo magrinha? Claro que tem gente magra que vai se identificar. Mas cadê a diversidade, Brasil?

Prova disso é essa outra matéria aqui. Essa moça, a modelo australiana Stefania Ferrario, lançou um protesto em seu Instagram recentemente, contando sobre sua frustração ao ser rotulada como uma modelo plus size. Detalhe: ela veste 38/40, gente!!!! Segundo ela, o rótulo em si é uma maneira de jogar mulheres pra baixo, fazendo com que se sintam diferentes das outras e, por isso, menos bonitas.

Eu acredito que, não importa o seu tamanho, é possível ser e se sentir bonita de qualquer maneira. O que eu queria é que mais marcas de moda compartilhassem desse pensamento e retratassem mais mulheres e suas belezas diversas de forma mais verdadeira. Assim, num futuro próximo, talvez Kristin e Sheridan possam ter mais sorte nas suas compras internéticas. E nós também.

  • Isso mesmo! Uma dica boa quando compramos na internet é olhar os comentários de quem ja comprou o artigo que queremos. Muitas vezes nos comentários encontramos o que veste melhor, a qualidade do tecido e PRINCIPALMENTE, se a roupa e do tamanho indicado ou se feito pequena…e nesse caso, optar por um numero acima do que usamos no geral. Vale a pena ler direitinho os reviews antes de pagar as compras on line! Nesses comentários as vezes tem até fotos de quem ja recebeu a compra e experimentou para mostrar. O legal é que se nos todas fizéssemos isso, ajudaríamos mais ainda quem tb quer comprar…

  • Anônimo

    Se você ler o seu próprio texto vai perceber que a conclusão é que ninguém fica tão bem com uma roupa do que as mulheres que usam 36, e que a indústria da moda deveria ocultar isso, usando modelos que usam numeração maior. Faz sentido?
    Quanto às retratadas acima, a maior diferença entre elas e a modelo é que a última não tem sobrepeso suficiente para denotar com a saúde. Emagrecer deveria ser a prioridade das duas moças, mas hoje em dia não pega bem você dizer que as pessoas tem controle e responsabilidade sobre suas próprias vidas.
    Meg.

  • Amei o post. Acho incrível como ainda somos rotuladas pelo peso, pelo cabelo, enfim.. Pelos padrões. Ser feliz com o corpo e principalmente saudável deveria importar mais q o numero do manequim. Que as marcas ouçam mais as suas consumidoras.. E ajudem a acabar com essa mentalidade.. Parabéns Jojo por ser gente como a gente e pela iniciativa de também abordar esse assunto aqui. Beijos. Ps: O blog esta otimoooo.

  • Concordo, acho que as marcas se optassem por modelos "reais" para venderem as suas roupas, iriam beneficiar muito disso, pois não estariam a fazer publicidade enganosa, porque nunca um vestido veste um corpo 38 como um 44 🙂
    Love*
    Treze Mundos

  • SHIRLEY SANTOS

    Oi Jojo … tudo bem ?
    Olha, eu visto 44/G/GG em tudo e muito raramente, um jeans 42 me serve (as coxas são um problema, entende ?).
    Eu vejo que as modelos PLUS SIZE, tem corpo de modelo mesmo, são gordinhas, fofinhas.
    Tem cintura, não tem barriga, e as coxas … Enfim, são proporcionais, embora grandes.
    Daí, vou eu, uma gordinha com barriga e bunda (78kg) e altura pequena (1,65m), pronto … ferrou.
    Já viu o blog da JU ROMANO. Ela usa todas as roupas que estão na moda, e ficam bem nela.
    Por que ela compensa. Tipo : justo em cima, largo embaixo, estampas, etc …
    A fotos acima, mostram bem várias experiências minhas com compras, mesmo em lojas físicas :
    eu adoro o vestido do encarte ou manequim em exposição, vou vestir :
    daí tenho vontade de sair correndo. Mas saio controladamente não desisto : eu quero, eu posso, eu mereço encontrar outra roupa que me mereça também.
    Bjs, adorei o posto de hoje.
    Bjs

  • Manu

    Parabéns. Ótimo texto!
    Sou médica e nos ultimos meses atendi vários casos de meninas querendo procurando a extrema magreza. A maioria delas almeja padrões que beiram a doença. Elas seguem padrões, seguem blogs, segue marcas, atrizes, e fico realmente preocupada em ver as fotos que elas mostram quando eu questiono o que é beleza pra elas.

    Obrigada por não participar dessa apologia louca à magreza e por incentivar a busca de um estilo pŕoprio. São mais exemplos desses que as adolescentes precisam.

  • Anônimo

    Agora a Dafiti tem o provador virtual, uma ferramenta interessante. Realmente a diferença entre a foto da modelo e a "nossa" é substancial!!!

  • Vic Andrade

    Tenho a impressão que modelos "plus size" só tem o braço gordinho, mais nada. É única diferença visível, pelo menos. Tem roupa da área plus size que fica marcada em mim, que uso 38. Não entendo, mesmo. Penso que, roupas realmente plus size, venderiam bem, afinal há um número enorme de consumidoras dessa área que não tem onde comprar. Então POR QUE não fazer roupas realmente plus size?

  • Renata

    Se é pra falar em diversidade, vamos considerar que muitas mulheres brasileiras são baixinhas? E que a saia midi fica lá no pé? E que a calça cropped vira uma calça curta estranha? Gente, ninguém vai se encaixar sempre. Que bom! O lance é auto estima pra questionar os padrões e auto conhecimento pra driblar as dificuldades que estão aí pra todo mundo. bjs!

  • Que matéria linda, Jô!

  • Beta Diniz

    Amei Jow!!!

  • Clarice

    Baseada nessa ultima modelo, que tem um corpo LINDO, diga-se de passagem, então Sofia Vergada, Penélope Cruz, Kim Kardashian, todas são plus size! Eu tenho esse corpo latino, cheio de curvas, então tem sou plus size! Por um mundo mais plus size!!

  • gostei do post só que acho que a modelo do site usa uma boa cinta (tem photoshop sim mas é notavel o uso de algo para comprimir a barriga e não marcar culote, a calcinha)… as modelos clientes por assim dizer tem até a marca do umbigo, do sutiã e da calcinha ou seja não usou uma cinta … eu mesma embora seja magra uso cinta pois um vestido desse tecido marca sem dó tudo o que temos e até mostra o que não temos…

  • É sempre "polêmico" o assunto de "o que é ou não plus size". Para indústria BR é quem veste 44 ou maior que. Nós sempre associa muito plus size só as mais gordinhas e esquecemos que "plus size" é literalmente tamanho maior.

    Eu tenho quase 1,80m, visto 44/46 e assim sendo, sou plus size (e com orgulho). Mas sei que não sou "gordinha", eu sou grande, tenho o bumbum grande, o busto grande, as pernas grossas mesmo com a cintura, ombros e braços fininhos. Sinto-me tão "plus size" quando qualquer moça que vista 50-52, para mim estamos no mesmo barco e eu abraço a causa com muito carinho e orgulho.

    O que acho errado nas propagandas plus size é pecar pela falta de qualidade e fidelidade ao produto, poucas marcas (sejam gringas ou nacionais) tem de fato modelagem bonita, bons tecidos e bom acabamento. Daí é a mesma coisa da "moda convencional", você vê uma coisa na vitrine/site, mas quando vai vestir fica torto/sem forro/amassa fácil entre outros problemas..

    • Nós sempre associaMOS* plus size só as mais gordinhas e esquecemos…

  • só um adendo, na modelo o caimento está melhor pq muito, mas muito provavelmente, ela esta usando uma cinta. o que faz o caimento do vestido ser bem melhor. nao dá pra esperar o mesmo resultado sem, né? mas eu entendo. to numa fase em que levo para o provador peças de tam 38 até 42. os moldes não tem padrão nenhum. loja fisica ja é um suplício. internet, eu nem tento,

  • ah sim… concordo plenamente Stefania Ferrario. moda deveria ser moda e pronto. moda para mulheres de tamanho 36 à 50 ou acima. pra que diferenciar? é ridículo!

  • Chocada com essa moça ser rotulada como "plus size". Adorei seu texto, Jô. Sei lá, parece que nunca estamos magras e adequadas o suficiente. Eu uso 38, o que seria o "ideal" (o que é uma inverdade), mas acho que o 38 agora deve ser algo mto ultrajante, se levarmos em conta as revistas de dieta nas bancas. Um dia, tava na fila do mercado e vi algo que me marcou: a Ísis Valverde na capa, cuja dieta sem glúten e lactose a fizeram ir "do manequim 38 para o 34". Oi??? Quando isso vai parar? Me assusta, de fato. A cobrança que sofremos, mesmo que a gente nem queira, é absurda. Outra questão da moda que me incomoda é: baixinha não pode usar x, gordinha não pode usar y, bla bla bla.Moda é criatividade. Podemos usar o que a gente quiser! beijo,adoro seu blog! Boa sorte nessa nova fase internacional 😉

  • Amei!