Um look e muitas lições
25 de abril de 2017 POR Jojo COMENTA AQUI!

E aí minha gente? Tudo lindo? Tudo beleza? Tudo tranquilinho?

Quem leu o post de ontem sabe que essa semana é Fashion Revolution Week (se você ainda não leu, tá esperando o que? Clica aqui e dá um jeitinho nisso agora!). E, como a iniciativa é mais do que nobre (trazer mais consciência para a indústria da moda), eu resolvi dedicar todos os posts dessa semana ao assunto.

Dito isso, o post de hoje é um look (êeeeeeee!) cheinho de aprendizados sobre consumo consciente (êeeeeeee! x 2). Cada peça desse look que cês vão ver aí embaixo foi pensada justamente pra falar sobre jeitos diferentes de melhorar a nossa relação com a moda (e que eu pessoalmente uso no meu dia a dia). Então bora ver tudo isso aí?

Pra começar, bora dar uma olhada no look todinho?

A ideia era montar um look meia estação que fosse alegre e divertido, pra combinar com os dias de sol e friozinho que tem feito aqui em Londres ultimamente. Ó só como ficou:

Look_UASZ_1

Agora vamos a todos os aprendizados que esse look nos traz?

Começando pelo top, quem lembra de onde veio esse tricô listradinho aí? Acertou quem falou que eu comprei numa garage sale (espécie de “família vende tudo”) lá no bairro em que eu morava em SanFran. Uma senhorinha estava se mudando da casa onde morava pra um apartamento menorzinho e resolveu botar boa parte das suas coisas pra vender pro pessoal da vizinhança. A gente deu de cara com a plaquinha na frente da casa e resolveu entrar.

E qual não foi a minha supresa quando fui olhar as roupas e descobri que a senhorinha era a maior fashionista? Acabei saindo carregada de peças pelas quais devo ter pago uns 5 dólares ao todo.

O mais legal é que eram peças de excelente qualidade, antigas, mas que tinham resistido ao tempo porque foram super bem cuidadas e ganharam nova vida nas mãos de outra pessoa (no caso, eu :-).

A lição que a gente aprende aqui? Que PEÇAS DE SEGUNDA MÃO SÃO UMA ÓTIMA ALTERNATIVA. Pensa só: você evita todo o impacto ambiental que gera a produção de uma nova peça, evita que uma peça antiga e em ótimo estado seja jogada fora (e gere mais lixo pro mundo) e, como peças de segunda-mão costumam ser mais baratas do que peças novas, ainda economiza um din din. O mesmo vale para aquela sua peça que você não usa mais. Ao invés de jogar fora, bote a bichinha pra circular!

Agora bora pra saia?

Fala se não é coisa linda de meu Deus? Essa bichinha aí vem direto das mãos talentosas da minha amiga conterrânea querida Adriana Meira.

Esses desenhos aí são todos tecidos de cores diferentes que a Dri corta e borda na saia. Fala se não fica um escândalo?

Se você tá aí se perguntando onde foi que já ouviu falar na Dri, eu te respondo, foi aqui mesmo. Ela inaugurou a nova sessão Achadões, com marcas brasileiras e do bem (aqui ó).

E é aí que entra a nossa segunda lição do look. Anota pra não se perder que esse post tá mais sábio que o Mestre dos Magos. PROCURE DESCOBRIR NOVOS TALENTOS da sua cidade, do seu estado, marcas que estão começando a crescer. Com marcas menores, é muito mais fácil de você criar um relacionamento de verdade com as pessoas que estão por trás, entender como elas trabalham, como lidam com fornecedores, materiais, etc. Tudo de uma forma mais transparente e humana.

Com a Dri foi assim mesmo. Eu fui lá no ateliê dela (que também é onde ela mora), batemos papo, ela me mostrou seu processo de criação e produção e ainda me prometeu cozinhar na próxima vez que eu aparecer por lá. E isso não tem preço, né?

Look_UASZ_2

Aí tem o casaco, que aparece lá no mosaico das três fotos (lá no início do post). Esse casaco é controverso, mas resolvi botar ele aqui mesmo assim porque acho que é sempre bom gerar debate sobre essas coisas. Assim que a gente cresce, né?

Pois esse casaco é da H&M. Aí você me pergunta: ai, Jojô, H&M no meio da Fashion Revolution Week? Que que tem a ver?

Calma aí que eu respondo. Vamo falar a verdade sem hipocrisia? Pra maior parte das pessoas, fazer compras em grandes redes de varejo (como a H&M, Zara, C&A, Riachuelo, etc, etc) é o jeito de comprar que cabe no bolso. Eu mesma adoraria só comprar roupa em marcas 100% sustentatáveis, mas às vezes a coisa fica meio inviável. Seja por praticidade, conveniência, preço ou simplesmente porque você achou uma peça linda de viver e gostaria de levar pra casa, vira e mexe a gente vai se permitir comprar em uma dessas lojas.

E aqui que entra o casaco. Eu comprei ele na H&M sim. Procurei em várias outras lojas, mas achei todos muito caros e eu tinha acabado de chegar em Londres e tava super sem grana por conta da mudança. E ele era tudo o que eu tava procurando: quentinho mas leve pra carregar, resistente àquela chuvinha chata Londrina, amplo pra caber outras camadas embaixo e combina com tudo. Comprei. E já usei pra caramba.

Lição número 3: COMPRE O QUE VOCÊ REALMENTE AMA E VAI USAR. Sim, pense muito antes de gastar o seu rico din din e investa em peças que você realmente precisa, que não vão ficar encalhadas no armário. Se você usar esse critério, eu não tenho dúvidas de que vai acabar comprando menos e melhor.

Por fim, vem esse óculos muso que nunca apareceu por aqui simplesmente porque eu só encontrei ele aqui em casa hoje. Ele é da minha cunhada e, não sei como, veio na mudança do Brasil pra SanFran e de SanFran pra cá sem eu nem perceber, guardado em alguma caixinha, esperando voltar pra sua dona.

E aqui vai a minha quarta e última lição do dia: se alguém esqueceu um troço na sua casa dois anos atrás, não tenha vergonha de usar no look e ainda por cima postar no blog. Nesse caso, achado realmente não é roubado! Maria, em Agosto te devolvo!

Look_UASZ_3

Curtiu nosso post com mais lições que episódio do He-Man?

Me conta aí o que mais que você faz pra trazer mais consciência pro seu armário? Essa semana é pra isso, galera. Bora conversar, debater, aprender e evoluir, né?

 

  • Cristina Cardoso Alves

    Meu exercício há meses é organizar melhor meus armários e as gavetas e, a partir disso, brincar de lego para coordenar as peças de forma diferente e, assim, usá-las de um jeito mais versátil. Hoje, coincidentemente, usei um vestidão que parece camisa longa, com o jeans curto por baixo e a bota de cano curto tb. Cada uma das peças tem mais de 6 anos (a calça deve ter uns 10). Coloquei no meu insta @sitedacris. Tenho pensado muito nessas questões, Jojô, e você nos ajuda demais a refletir… É tanto impulso por compra que parar e olhar o que já temos torna-se uma atividade deliciosa. Beijos. AMEI seu look.

  • Clarissa Vieira

    Oi, Jojo! Tá boa? 😉

    Adorei muito o post. A parte da H&M, então, dá uma consolada na gente… É que você falou uma coisa muito legal: a moda 100% sustentável, local, de pequenos produtores ou mesmo de grandes produtores locais conscientes, ainda sai muito cara na maioria das vezes. E a gente quer ficar bonita, fashionista, “muderna”, às vezes não vê outra saída a não ser comprar nas grandes redes de varejo. Sei que isso, como você mesma disse no post, é polêmico para a semana da Fashion Revolution. No entanto, acho muito importante pautar também a questão da acessibilidade na moda. Quase ninguém consegue comprar peças mais conscientes, por causa do preço. Observo muito isso no Brasil, mas talvez em outros países isso também aconteça, não é? Enfim, quis comentar para trazer mais “lenha” para a fogueira do debate. Adoro muito o novo “Achadões” e o conceito da moda local, consciente e sustentável. Já comprei algumas coisinhas da Loja Três – que conheci aqui – e amei! Enfim, queria compartilhar essas ideias!

    Obrigada pelos posts legais de sempre e o look, também como sempre, ficou MARA, como os xójens dizem! Tá muito lindo!

    Beijim!

    Clarissa

  • Sarah Amaral

    Amei, Jojo!!

  • Amei <3

  • Claudia Alves

    Jojo, bem bacana. Na real, compro muito em second hand e em marcas locais, ou de amigas. 🙂
    Outra opção que faço é pegar inspiração no Pinterest e junto com a costureira de confiança fazer um modelo. Sei que nem todo mundo tem esse tempo, mas acaba sendo um processo criativo bem legal e de ideia de ressignificar o seu sentido de moda.
    Você tem peças que foram insights seus e saiu do papel e virou modelito?
    Um beijo

  • Leila Diniz

    Gostei sim, aprendi mais uma vez com você. E um recado pra cunhada: MARIA, SE NÃO SENTIU FALTA DO ÓCULOS ATÉ AGORA, DÁ ELEEEEEEEEE PRA JOJOOOOOOOOO. ♥♥♥♥

  • Roberta Dalma

    Você pensa em cada combinação que fica sempre um look liindo!! Amo demais vir aqui e ler o que você escreve!

  • Siloan Lima

    Saia MARAVILHOSA!

  • Nathalia D’Aragona Malheiro

    “Vamos falar a verdade? Sem Hipocrisia” AMEI!! Adoraria comprar so do pequeno e de marcas sustentaveais, mas a verdade eh que assim como vc eu moro em Londres, e aqui comprar do pequeno eh mto mais dificil, primeiro pq nao conhecemos tantos pequenos assim (qdo a gnt muda pra outro pais, absolutamente TUDO eh novo) e segundo pq eh mais caro, muito mais caro..
    Entao aproveito o comentario, pra fazer um pedido, compartilha mais infos londrinas aqui com a gnt Jojo, faz um achadoes versao Londres, dicas de brechos e etc.. tenho ctz q vai ser util pra mim e pra mais um montao de gnt 🙂

  • Jade Oliveira

    Amei o look e as dicas. A saia é maravilhosa e eu super vejo o rosto de um dragão kkkk