Dias 213 e 215
3 de outubro de 2011 POR Jojo COMENTA AQUI!

Sábado o sol abriu em São Paulo. E toda vez que o sol abre por aqui no fim de semana, a minha alma baiana/carioca canta e eu fico meio DE-SES-PE-RA-DA pra ficar estirada numa canga à beira d’água. Como nessa metrópole que eu habito não tem praia, a tradução disso é sentar na beira da piscina do clube ou do prédio.

Taí o meu problema, eu não sou sócia de nenhum clube e no meu prédio não tem piscina (classe média sofre…). Daí, toda vez que faz sol eu tenho que ficar mendigando convites pra piscinas alheias. Esse fim de semana, a minha mendicância deu certo e, sábado de manhã, lá vou eu com o meu maiôzinho tomara que caia em busca de um espacinho entre os prédios, curtir alguns raios de sol com amigos queridos e generosos.

E daí, pra explicar o meu look, preciso contar que tenho uma mania meio estranha. Pra mim, existe uma grande diferença entre looks praianos e looks piscina. Ok, eu sei que é um pouco de insanidade minha mas, fazer o que, né? A gente aprende a lidar com as nossas excentricidades. Enfim, na minha cabeça insana, a praia tem essa coisa democrática, hippie chique, que permite looks mais largadinhos (no bom sentido, claro) e confortáveis. Praia, portanto, combina com biquini, canga, shortinho, renda, havaianas, batinhas. Piscina é outro papo. Piscina tem cara de looks urbanos, chapelões, oclão, acessórios.

Gente, é coisa da minha cabeça, tá? Não é regra não.

Enfim, tudo isso pra dizer que fui pra piscina assim:

A estampa da saia e as listras da camisa respeitaram as minhas regras de contraste de estampas e ainda formaram o combo navy vintage perfeito (junto com a plataforma de corda).

E, como aqui em SP tudo acaba em torno de uma boa mesa, o legal desse look é que dá tranquilamente pra emendar a piscina num almocinho com a galera. E foi exatamente o que aconteceu. Bem sábado feliz, sabem?

Daí o domingo chegou e sabem quando tudo dá errado? Pra começar, fui andar de bicicleta sábado de manhã e levei o maior estabaco da história. No meio da Oscar Freire. MI-CO. Daí chego em casa e o cartão de memória da minha câmera cai no chão e quebra. Enfim, tudo isso pra dizer que vou precisar tirar a foto de domingo de novo (por isso o pulo do dia 213 direto pro 215). Amanhã posto o look de domingo e conto em detalhes o meu desastre.

Eis que chegamos ao dia de hoje. Uma segunda-feira nublada e um tanto quanto preguiçosa. Daí a melhor solução pra um dia assim é ir pro básico. Vestido (uma peça só facilita, a gente não precisa raciocinar tanto sobre o que combina com o que) preto (não tem como errar).

Pra completar o look básico de segunda, a gente taca um blaZer (viu, gente? Aprendi!) preto e tá tudo certo.

E aí o segredo pra não ficar com cara de luto é caprichar nos acessórios: sapatotinho super trabalhado, oclão e maxi bolsa nude e pulseira com carinha vintage.

E, de repente, o vestidinho preto ganha um pouquinho mais de personalidade.
Bem, por hoje é só, pessoal! Boa semana!

Créditos de sábado:

Saia: brechó B. Luxo
Camisa: American Apparel
Maiô: Osklen
Cinto: Marc by Marc Jacobs
Óculos: Urban Outfitters
Bolsa de palha: diretamente de Paraty -RJ
Sapato: presente da amiga querida Dona Roberta Diniz – não sei de onde é, preciso dar uma olhadinha

Créditos de hoje:

Vestido: Maria Bonita Extra
Sapato: Sollas
Blazer: 284
Óculos: Urban Outfitters
Bolsa: Maria Bonita Extra
Pulseira: Q-Guai