Dias 319 e 320
18 de Janeiro de 2012 POR Jojo COMENTA AQUI!

Cá estou eu, aqui no calor do Rio de Janeiro desde sábado. Se engana quem pensa que a pessoinha veio pra cá pra passear. Mas antes trabalhar com a vista da praia de Ipanema do que olhando pra parede do prédio comercial ao lado.

De qualquer forma, numa horinha aqui e noutra acolá, deu pra arrumar um espacinho na agenda de um dos meus fotógrafos cariocas profissionais (bom que ele é hermano, então fica tudo na família), e dar um pulinho ali no Parque Lage pra fotografar as produções de mais uma mini temporada carioca.
Aliás, aqui vale abrir parêntesis.
Se você anda pensando em vir pro Rio, não esquece de dar um pulinho nesse tal Parque Lage. Se você mora no Rio e nunca se deu ao trabalho, a dica vale do mesmo jeito. Vá. O lugar, encravado lá no meio do bairro do Jardim Botânico, hoje abriga, além dos jardins pelos quais ficou famoso, a Escola de Artes Visuais do Parque Lage e um café super simpático e perfeito para um café da manhã ou lanche durante a tarde. Olha só o clima do lugar:

 

 

 Lembrou onde você viu esse lugar? Vamo refrescar a memória?
Ok, fecha parêntesis.
Pois bem. Domingão, antes de encontrar as amigas pra um happy hour de fim de fim de semana, lá fui eu e o meu fotógrafo lá pro Parque resgistrar o look. Um look despojado, perfeito pra um fim de tarde de domingo.
O toque divertido do look ficou por conta do chapéu rosa choque e da bolsa de coruja, dois elementos marcantes que só funcionaram em conjunto porque o resto do look era bem básico.

E, sim, no Rio anda quente. Mas a previsão do tempo para o domingo era de chuva, o que explica o blazer leve. E, sim, choveu, e muito e o blazer ajudou (nota mental, próxima vez que a previsão for de chuva, vale um sapatinho mais fechado).

Mas daí, como chuva no Rio costuma ser coisa passageira, quando o clima começa a esquentar, o blazer sai de cena e dá lugar ao vestidinho de um ombro só super hiper fresh e com um jeitinho sexy todo dele.

Daí, segunda-feira chegou e, com ela, algumas obrigações profissionais. Mas nada que impeça que a gente continue se achando diva (e se vestindo de acordo).

Mas, segunda-feira é dia de estar confortável, ainda mais se se trata de uma segunda-feira semi preguiçosa no Rio de Janeiro. Portanto, nada como um kaftan gigante super estampado, super confortável, com tecido leve e fresquinho.

Lembram dele? Ele apareceu aqui no blog numa outra ida ao Rio (mais precisamente no dia 168), mas estava beeeem diferente. E o legal desse kaftan enorme é justamente isso. Apesar de ser super marcante, o formato quadradão, largão e comprido permite um monte de composições diferentes.

Essa versatilidade de formas acaba fazendo também com que o kaftan seja uma peça que se adequa a um monte de ocasiões (longo com um cintinho marcando a cintura para um casamento de dia – eu já usei e o bichinho fez sucesso ou soltão para um dia relax, ou ainda curtinho acinturado pra ir tomar um drink). As possibilidades são infinitas.

Bem, foi bom enquanto durou. E, pelo menos deu pra dar um grauzinho a mais no bronze (mesmo com a chuva que anda assolando o verão aqui pelo Sudeste).

Agora, back to work!

Créditos de domingo:

Vestido: American Apparel
Cinto: brechó em Buenos Aires
Blazer: Zara
Bolsa; Chinatown – Londres
Chapéu: presentito de Natal
Sapatilha: Maria Bonita Extra

Créditos de segunda:

Kaftan: Neon para Surface to Air
Sapatilha: Maria Bonita Extra
Óculos: Prada (emprestados da mamãe)