366
3 de Março de 2012 POR Jojo COMENTA AQUI!

Chegamos.

Eu gostaria muito de falar “finalmente” mas a sensação tá muito mais pra “já?” do que pra “finalmente!”.

Eu nunca pensei que, um dia, sentada no chão de madeira do meu quarto, olhando pras portas abertas do meu armário velho, abarrotado de roupas que eu não sabia usar, eu teria uma idéia que mudaria a minha vida. E é estranho porque parece que foi ontem. Parece que passou tão rápido.

Mas nesses 366 dias tudo mudou. Tudo mesmo. Não, não foi só o meu jeito de me vestir, nem o jeito de gastar/poupar/lidar com o dinheiro. Isso seria pouco. Seria o esperado. Mas seria o mínimo. A minha vida virou de cabeça pra baixo esse ano em bons e maus sentidos. Mas com tudo a gente aprende. E eu aprendi demais. Tanto que vocês nem imaginam.

Aprendi que dá pra fazer. Dá pra ficar um ano sem comprar. Mas não só isso. Dá pra fazer o que a gente quiser. Botou na cabeça? Quer? Vai lá e faz. Tudo bem, tá parecendo conselho da Xuxa, né? Mas é verdade. Quem me conheceu há 367 dias atrás deu risada da idéia besta da moleca sentada no chão do quarto. E taí. A moleca, hoje em dia, tem até poupança.

E se você tem um problema que acha que ninguém mais tem e que você é uma pessoa louca, tenta jogar o problema na web. Ok, não precisa ir tão longe. Conta pra alguém. Pra um amigo, pra um parente, pro seu porteiro. Eu APOSTO com você que o Fulano vai conhecer um Cicrano que passou pela mesmíssima coisa.

Eu me achava uma doida. Sério. Antes desse blog eu jamais tinha contado pra ninguém que eu tinha problemas financeiros. Me achava uma idiota por não conseguir me controlar, por tomar sustos com o cartão de crédito, por viver administrando o vermelho da conta enquanto os meus amigos compravam a casa própria e faziam viagens ao redor do mundo. E eu esperando o busão.

Mas não é que tem um monte de gente doida no mundo? Pois bem. Por aqui, eu encontrei as minhas companheiras de loucuras e, juntas, a gente se ajudou. E é isso que acontece quando você divide um problema. Ele diminui. E aí você divide mais e mais e mais. Até que ele fica bem pequeno e some.

 

Jamais, em mil anos sem Zara, eu imaginaria receber tanto carinho, tantos relatos de gente que se disse tocada, mudada, inspirada e tantos outros “adas” tão incríveis quanto esses. Não tem nada que tenha sido mais enriquecedor esse ano (nem mesmo a economia do meu din din! hehehe) do que ter virado amiga à distância de tanta gente bacana. E, por isso, eu só tenho a agradecer.
E falando em agradecer, preciso falar de todo mundo que participou do blog diretamente ao longo desse ano. Quem deu apoio, presentes, idéias, ibope, enfim. Cada um contribuiu como pôde e acabou fazendo esse espaço ser bem mais legal. Não vou ficar citando nomes porque vai parecer discurso do Oscar e eu ainda corro o risco de esquecer alguém (a emoção é muita, essas coisas acontecem..).

Bem, mas isso é um blog de moda. E hoje é dia de comemorar. De ficar muito feliz de ter vivido esse ano com vocês. Hoje é dia de festa. E dia de festa a gente põe a melhor roupa. Eu juro que não parei pra pensar muito sobre o look de hoje. Já sabia qual seria ele desde o início da semana nostálgica. Queria muito repetir uma saia que, pra mim, é cheia de significado. Primeiro porque ela está há quase 13 anos na minha vida. Segundo porque ela também passou pela vida de outras meninas. E, durante algumas horas na vida de cada uma de nós, ela fez a gente se sentir princesa. E não é esse mesmo o intuito da moda? Fazer a gente se sentir bem? Linda? Especial? Única?

Sim! Ela é a grande protagonista do último dia. Uma saia digna da magnitude desse post. E, pra se sentir mais princesa, nada como um bom adereço de cabeça.

E como não lembrar dele? O cinto que provavelmente foi o ítem mais repetido nesses 366 dias? Branco, básico e sem nenhum glamour. E por isso mesmo que ele entrou no look. Pra dar aquela misturada que a gente tanto gosta por aqui.

E acabou que tudo ficou com a maior cara de Reveillon. Mas não é isso mesmo? Um ano que chega ao fim e outro que se inicia. Sim, porque vocês realmente acharam que, depois de hoje, eu ía sumir por aí como se a gente nunca tivesse se conhecido?

Tsc, tsc.

Se depender de mim, a gente ainda se vê muito esse ano. (sim, podem voltar aqui nos próximos dias que teremos novidades!).

Mas, aí, pensando bem, eu não queria mesmo fechar esse ano com cara de princesa. Porque eu relamente não sou isso. Então, fica a foto da moleca no chão do quarto. Aquela que um dia, vestida de short jeans e camiseta, teve uma idéia louca que virou tudo de cabeça pra baixo.

Um beijo pra vocês. Obrigada. E até amanhã.
Créditos de hoje:
Saia: da festa de 15 anos
Blusa: Urban Outfitters
Cinto: marc by Marc Jacobs
Adereço de cabeça: Linhares
Short jeans: Dress to
Bota: Zara
Camiseta: Nivea