Dia 2
15 de Março de 2012 POR Jojo COMENTA AQUI!

Nada como começar o segundo dia dessa segunda temporada do blog madrugando pra ir pra Salvador. Tudo bem, a viagem não está sendo exatamente a lazer mas só a possibilidade de comer um acarajé in loco ao longo do dia já faz acordar às 6 da matina soar um pouco menos insuportável.

Bem, então a idéia era passar o dia em Salvador fazendo pesquisa de campo, ou seja, falando com gente na rua. Já viu, né? Calor senegalês pede um look fresquinho.

Logo pensei num short. Afinal, nada como um dia de trabalho fora do escritório pra gente conseguir driblar um pouquinho o dresscode tradicional e se permitir botar umas perninhas de fora, ainda mais em Salvador.

Depois veio a idéia de usar um chapéu. E eis que surge um novo ítem no armário.

Uma das coisas que eu queria muito para esse inverno que se aproxima era um chapéus. Quem acompanhou o blog ao longo desse verão viu como eu abusei do ítem para dar personalidade a looks que por si só talvez não sairiam do lugar comum.

Eu, particularmente, acho que o chapéu é um dos ítens do guarda roupa feminino mais sub-utilizados aqui no Brasil. Especialmente no inverno. E eu pretendo reverter essa injustiça.

No meu guarda roupa sobram chapéus de palha mas, como falei, o inverno se aproxima e eu senti falta de um chapéu verdadeiramente invernal, mais rígido, de um material mais parrudo.

E não é que na minha incursão à Augusta também rendeu o chapéu que eu tanto sonhava?

Bem, dito isso, acho que aqui vale o parêntesis para responder algumas perguntinhas que surgiram ontem.

Primeiro, a idéia do blog não é comprar uma coisa nova (e barata) por dia, durante 365 dias. Mas, sim, incorporar novas peças ao armário ao longo desses 365 dias que tenham um bom custo benefício. O que isso quer dizer? Que ao longo desse ano eu vou ficar de olho em ótimas oportunidades de compra pra sempre trazer novidades pra vocês. Claro que, nessas primeiras semanas de blog, muito do que vai aparecer aqui vai ser novo. Mas à medida que o ano for passando, a gente vai ver também como fazer uso dessas novidades de jeitos diferentes – ou seja, esse chapéu que aparece pela primeira vez aqui hoje, ainda vai aparecer muito ao longo desse ano (como fizemos com a maior parte do armário no ano passado). Isso tudo para mostrar que, não basta ficar de olho no preço que pagamos pelas coisas, mas também em quanto elas serão úteis pra gente.

Segundo, esse não é um ano sobre comprar coisas baratas. Até porque o conceito de barato é relativo. O que é barato pra Val Marchiori não é barato pra mim (ok, exemplo radical mas só pra dar uma ilustrada). A idéia aqui é olhar par ao custo benefício e conseguir mais por menos. Sim, claro que faz parte incluir roupas indiscutivelmente baratas (como o vestidinho de ontem) mas também falar sobre achar oportunidades para se comprar roupas de qualidade indiscutível por menos. Daí entram os outlets, as liquis, os bazares, os brechós. A idéia é, porque pagar mais por uma roupa que se pode pagar menos?

O chapéu de hoje, por exemplo, é de um brechózinho também lá na Augusta (juro que não lembro o nome, mas amanhã, quando estiver em São Paulo de novo, corro atrás e conto pra vocês).

Dito isso, podemos continuar com o look. E, se eu tinha na cabeça a idéia de usar um short, o chapéu veio a calhar e combinou perfeitamente com o clima do short. Tudo em tons terrosos, invernais mas configurando um look bem fresquinho.

O blazer, como era possível prever, serviu só pra sair de casa em São Paulo e pegar o avião até aqui (eu SEMPRE viajo com um casaquinho). Mas foi chegar aqui e ele foi jogado dentro da bolsa instantaneamente. Daí restou a blusinha regata branca e o shortinho. Mais fresca impossível.

Créditos de ontem:

Short: brechó em São Francisco
Cinto: brechó em Buenos
Bolsa: brechó em Buenos
Blazer: Zara
Chapéu: brechó na Augusta (prometo pegar o endereço direitinho amanhã)
(gente é o dia do look vintage!)
Sapato: Urban Outfitters
Regatinha: Zara