Compras em Berlim. Porque ninguém é de ferro, né?
2 de setembro de 2012 POR Jojo COMENTA AQUI!

É tanta coisa que nem sei por onde começar. Mas, como ontem prometi que ía falar sobre compras, acho que vou começar por aí.

As minhas dicas de compras se dividem em duas partes. Ou melhor, dois lugares. O primeiro Kurfürstendamm.

O nome é complicado (como quase todos os nomes de rua – ou de qualquer coisa – em alemão) mas a verdade é que Kurfürstendamm é uma mão na roda. A avenida enorme tem absolutamente de tudo. Foi nela que eu encontrei as várias H&M’s em um quarteirão só. Mas não pára por aí. Aliás, correta a mocinha que comentou ontem que se você vir várias H&M’s no mesmo quarteirão, entre em todas. Eu fiz o teste e, realmente, quando elas estão localizadas assim tão próximas umas das outras é porque cada uma tem coleções diferentes.

Mas Kurfürstendamm tem muito mais. A maior Urban Outfitters de Berlim fica ali. Mas aviso: fui toda esperançosa mas me decepcionei muito. Os preços aqui por essas bandas estão super altos. Pasmem: acabei não comprando nada. De qualquer jeito, vale a visita. A loja é realmente uma das maiores UO que eu já ví e tem uma parte de coisas pra casa que é bem legal. Fora que é uma graça. A ilustra aqui embaixo fica do ladinho do caixa e é só um dos inúmeros detalhes legais da decoração.

Fora isso, tem Zara, Mango, C&A e todas essas grandes que a gente ama. Mas nem só bom, bonito e barato vive a Kurfürstendamm. Conforme você vai andando, a avenida vai se trasnformando numa espécie de Oscar Freire local, com direito à Chanel, Gucci, Prada. You name it.

Bem, resumo: em Kurfürstendamm você resolve a vida. Compra desde cartão postal e camiseta escrito “I love Berlin” até a calça mais legal dos últimos tempos a apenas 9 euros (sim! eu comprei! tá lá no instagram @mourajo)

Então, vamos à segunda parte do nosso roteiro de compras. Essa segunda parte se chama Rosenthaler. E aí preciso começar dizendo que estou completamente apaixonada por Rosenthaler. Mas não tem mesmo como não amar. O lugar é infestado de gente jovem, bonita e cheia de estilo. Ao andar pela calçada, o que se vê são brechós recheados, lojas de novos estilistas, bares moderninhos e galerias de arte incríveis.

Então, aqui vão alguns nomes de lugares que me encantaram:

Waahnsinn Berlin: brechó lindo. As roupas nem são tão incríveis mas tem muita coisa de decoração dos anos 60 que é muito legal. Tem que ir.

A Gestalten é demais. Galeria de arte escondida no vão de um prédio (aliás, atenção! Essa região é cheia de lojnhas, cafés e galerias incríveis escondidos nos vãos dos prédios. Portanto, a ordem do dia é fuçar! Vai entrando que dá tudo certo.). Além de galeria, a Gestalten também é uma loja fofa, cheia de mimos pra casa.

Objets Trouvés: loja cheia de charme e peças vintage, logo ali do lado da Rosenthaler Platz.

Berlin Daily Photography: galeria de arte com fotografias ótimas assinadas e numeradas a preços muito bons.

Bem, a conclusão aqui é: tire uma tarde pra se perder por essas bandas. Eu fiquei tão entretida que esqueci de comer. Só lembrei quando estava quase desmaiando de fome. Mas tudo bem. Em cada esquina tem um bistro ou café mais bacana que o outro. E aí você senta, come, toma um vinho e fica vendo povo bonito passar.

Depois de tudo isso, gostoso mesmo é aproveitar um final de tarde num dos jardins ou parques da região. E como estava fazendo um dia lindo de sol, com um ventinho frio malicioso, optei por um combo um tanto esdrúxulo: shortinho + camisa leve de manga comprida + tricô laranja.

O look inteirinho não deu pra fotografar porque eu tava sozinha e fiquei com vergonha de pedir pra alguém tirar pra mim (mas hoje já solucionei o problema e tirei fotos antes de sair no espelho do hotel hehehe).

Por fim, resta dizer que Berlim é assim. Um roteiro turístico cheio de história mas com detalhes lindos a serem desvendados.

Créditos:

Camisa: C&A
Tricô: Zara
Short: brechó em São Francisco
Sapatilha: H&M
Óculos: Asos