O inesperado vestido de casamento
8 de Abril de 2013 POR Jojo COMENTA AQUI!

Quem acompanha o meu Instagram (pra quem não sabe, o @mourajo), percebeu que sábado rolou um casamento trés trés chic que um casal de amigos super fofo e querido.

Eu amo casamentos. Acho uma festa que sempre tem um clima bom, tá todo mundo feliz, desejando o bem, celebrando o amor. E sábadão não foi diferente, pelo contrário, foi tudo isso e muito mais. E, para prestigiar os amigos e fazer bonito no evento, rolou realmente uma produção boa.

Na verdade, casamento sempre exige uma produção, né? Sempre exige um planejamento com uma certa antecedência: escolher o vestido (dentro ou fora do armário), ver se ele está limpinho e passadinho, pensar no cabelo, no make, nos acessórios. Enfim, ficar elegante num casório dá trabalho.

Eu já tinha feito todo esse processo. Escolhi um vestido antigo, pensei no melhor cabelo pra ele, no make que mais valorizaria o look e nos acessórios mais fofos. Tudo bonitinho e com a devida antecedência.

Mas a verdade é que, às vezes, o destino resolve pregar uam pecinha na gente e nos apresentar um novo elemento que a gente nunca imaginava que ía entrar na história. E foi exatamente o que aconteceu.

Três dias antes da data fatídica, passeando pela Augusta (sempre ela), passei na frente do B.Luxo, brechó que eu adoro, e percebi que eles tinham inaugurado uma ala de decoração vintage. Como estou em um momento de fúria decorativa em casa, resolvi entrar pra dar uma fuxicadinha.

Passeei pelos cacarecos fofos, mas não encontrei nada que realmente chamasse a minha atenção. Já ía saindo da loja, quando resolvi dar um check it out nas roupitchas. Eis que, a primeira peça, da primeira arara, bem no meio da loja, era belezura aqui:

Preciso dizer mais alguma coisa? Tirei o bichinho da arara com toda a delicadeza que o meu desengonçado ser é capaz de carregar e levei pro provador. Só tinha ele. Peça única. Arrematado pelos donos do brechó numa expedição à Nova Iorque. Vesti. E ele caiu como uma luva. Dois minutos depois eu estava digitando a senha do cartão de crédito.

Eu sei, eu sou toda anti compras por impulso. Mas eu rebato: não foi impulso não, gente. Nesses dois minutos, processei muita informação na cabeça. Segue abaixo a linha de raciocínio:

1. Eu sou super implicante com roupa de festa. Acho tudo muito igual e raramente me apaixono por alguma. Por isso, sempre tenhoa  maior dificuldade de comprar essas coisas. Já esse, me encontrou e eu amei de cara. Com certeza vai me acompanhar em muitas festas por aí.

2. O bichinho é único. Não tem o MENOR risco de você encontrar uma pessoa no casório trajando o mesmo figurino. E isso não tem preço.

3. Por fim, errou quem pensou que o mocinho foi caro. Brechó tem dessas coisas, você encontra uma pérola dessas sem ter que pagar muito por isso.

Levei pra casa. Aí precisava redefinir todo o resto. Primeiro o cabelo: até tentei prender. Cheguei a fazer um coque baixo de lado. Mas ficou parecendo que eu tinha saído de uma novela de época – roupa velha sempre tem esse risco, né? Daí resolvi deixar ele soltão mesmo e de ladinho, pra dar esse toque mais jovem/contemporâneo.

O make tinha que ser simples, uma vez que o vestido já brilhava demais.

Por fim, os acessórios seguiram a pegada do vestido: anéis e brinco dourados, sapato preto e dourado e clutch bege.

O melhor de tudo isso? Nada como se sentir bonita e feliz num dia tão especial. Ajuda muito a sair bem nas fotos. 😉

Créditos:

Vestido: B. Luxo
Sapato: Santa Lolla
Clutch: Accessorize
Brinco: Accessorize
Anéis: Cada Qual