Um beijo pra Colômbia, deixando o verão mais colorido.
28 de Janeiro de 2014 POR Jojo COMENTA AQUI!
Conforme anunciado aqui na sexta, eu tive que passar boa parte do fim de semana trabalhando. No domingão, trabalhei até umas 2 da tarde e, coincidência ou não, a TPM passou justamente na hora que o trabalho chegou ao fim e eu fui tomar sorvete de cajá com tapioca (sim, isso existe em São Paulo).Mas, mesmo tendo que ir até a agência em pleno sábado de sol enquanto o boy vai velejar na represa de Guarapiranga, eu não abro mão de usar uma roupa mais confortável e feliz. Afinal de contas, não é porque o humor tá cinza que a roupa do corpo precisa combinar.

Então, aproveitei que era domingão mesmo pra tirar uma bolsa do armário que não estreou aqui no blog ainda porque eu não tava conseguindo usar ela durante a semana.

Provavelmente todo mundo que passa por aqui já ouviu falar naquelas bolsas colombianas mega coloridas que, recentemente, viraram febre entre o povo da moda. 10 em cada 10 it blogueiras postaram uma Wayuu antes mesmo do verão chegar aqui. A primeira vez que ví uma dessas bichinhas na frente foi no Style Market, uma das primeiras lojas aqui no Brasil a comercializar as bichinhas. De cara, já simpatizei. Apesar de originárias da Colômbia, elas tem a cara do verão do Brasil: são coloridonas, molinhas, com uma carinha super casual-praia-sol-biquini. Mas, quando ví o preço fiquei um pouco em choque e concluí que a Wayuu não era pra mim. O que, por outro lado me deu um bode geral das it-girls que tavam por aí desfilando com as delas. 800 reais por uma bolsa de praia? Não, né?

Daí o tempo passou e eu esqueci da Wayuu. Até que o destino colocou ela de novo no meu caminho, dessa vez lá no Chile. A gente tava passeando pelo Barrio Italia (lembram dele?) quando o meu olhar foi automaticamente atraído por um lugarzinho pequeno e muito colorido. Puxei o boy pelo braço e arrastei ele até o outro lado da rua pra ver o que era. Chegamos pertinho da loja e ví o sinal de fechado, mas eu já tava tão curiosa que colei os olhinhos no vidro que nem criança. O que eles viram do outro lado não era uma loja, mas uma sala de aula de um curso de tricô e tecelagem, com fios coloridos por todos os lados.

Voltando à vaca fria, lá, no cantinho da tal sala de aula, tinham umas bolsas em exposição. E, claro, lá estavam elas. As tais colombianas em todo o seu esplendor de cores. Fiquei tão curiosa pra saber quanto as bichinhas custavam que fui na loja do lado caçar por onde andava a moça da escola de tecelagem que não tinha aparecido pra trabalhar. No fim das contas, ela tinha só dado uma saidinha pra almoçar e voltou em seguida.

Como eu imaginava, a bolsa era sensivelmente mais barata do que no Brasil. Depois acabei descobrindo que, lá na Colômbia, os preços das Wayuu variam entre US$15 e US$70 (na loja mais maneirinha de lá). Eu paguei US$100 no Chile bem felizinha. Não é baratex mas fiquei surpresa com a qualidade do material e já visualizei milhões de possibilidades de uso nas nossas altas temperaturas.

Bem, essa lenga lenga toda foi só pra dizer que foi a tal Wayuu a responsável por colorir o meu domingão de humor cinza.

Achei engraçado ter encontrado ela desse jeito. Especialmente porque, de todas as Wayuu que eu já ví por aí, ela é a mais linda. E ela tava lá sozinha. Me esperando. 🙂

E como ela é coloridona, achei que um look todo branquinho pegava bem. Peguei um short jeans branco e a minha blusa com mini raposinhas e só joguei um casaquinho com cara de utilitário por cima porque passei boa parte do dia dentro do ar condicionado, na frente do meu computer. No fim, achei que ele acabou dando uma complexidade bacana pro look que ía ficar simplão demais só com blusinha e short.

Ah! O óculos penduradinho no pescoço merece um ponto de atenção. Ele foi um achado lá do outlet de Las Vegas (lembram?). Comentei no post de Vegas que tinha comprado oclitos Oliver Peoples super baratinhos. Esse aí da foto custou 39 doletas.

Por fim, vamos à verdadeira ousadia do dia. Como eu tô nesse dilema de cortança de cabelo, resolvi dar uma brincada com ele pra ver o quando ele rende ainda assim comprido-Madalena-arrependida. Lembram que eu fiz esse truque das trancinhas passando por cima da cabeça no dia do vestido amarelo? Hoje eu fiz a mesma coisa, mas, ao invés de deixar a parte de traz do cabelo solta e usar as tranças só como uma tiara, fiz tranças maiores, uma de cada lado da cabeça, com o cabelo todo de cada lado. No fim, passei cada uma por cima da cabeça pro lado oposto e prendi com um grampo toscamente, como vocês podem ver na foto. Mesmo assim, com o grampo todo aparecendo (vivendo e aprendendo, pra próxima a gente conserta), fiquei toda felizinha com o estilinho garota campestre sai pra passear no domingo.

Chega, né? A semana começou. Boa semana pra gente! E viva o fim da TPM!

Créditos:

Camiseta: lojinha no Asiatique em Bangkok
Jaqueta: Forever 21
Short: Lee Loo
Bolsa: Wayuu da lojinha no Barrio Italia em Santiago
Mocassim: Zara
Óculos: Oliver Peoples
Batom: All Fired up da MAC