A história da saia avental
21 de Fevereiro de 2014 POR Jojo COMENTA AQUI!
Conforme prometido, hoje as pernas voltam a ficar de fora. E num modelito que eu nem lembro quando foi que apareceu aqui no blog.

A verdade é que, dia desses, eu tava meio sem nada pra fazer aqui em casa e resolvi ser produtiva e pensar em alguns looks bacaninhas pra usar quando tivesse meio sem inspiração. Cês já fizeram isso? É a segunda coisa que eu mais gosto de fazer quando tô sozinha em casa (a primeira é fazer a unha com uma lata de leite condensado do lado pra dar uns golinhos entre uma camada de esmalte e outra), além de ser um ótimo jeito de inventar looks novos que, na corrida do dia a dia, você nunca ía ter parado pra pensar.

Pois bem. Botei o short do pijama e, com o som ligado e uma taça de vinho na mão, escancarei as portas do armário pra conseguir enxergar direitinho tudo o que tinha lá dentro. O meu critério foi começar cada look a partir de uma peça que eu não usava há, pelo menos, seis meses. E foi a partir daí que surgiu a saia xadrez de hoje. Assim que abri o armário, me deparei com esse xadrez cor de rosa com cara de toalha de mesa da cozinha e abri um sorrisinho lembrando do dia que me encantei por ela pela primeira vez.

Ela tava na arara de liquidação da ponta de estoque da Maria Bonita Extra. Como eu já mencionei algumas vezes, eu adorava a Extra, mas achava tudo muito caro pro meu salário petit de recém formada. Então, liquidação da ponta de estoque era tipo o meu lançamento de coleção.

E eu sempre ficava analisando as peças pra tentar entender porque elas tinham chegado ilesas ao final da cadeia alimentar da moda. Claro, porque as peças mais lindas nunca faziam esse caminho todo, acabavam antes mesmo das liquis chegarem nos shoppings. Pra uma roupa tamanho 40 chegar à liqui da ponta de estoque é porque ela era mesmo a ovelha negra da coleção.

Quando ví essa saia lá no cabide, de cara, não consegui entender como um xadrez tão lindo tinha sido deixado pra trás. Fui em sua direção, olhar mais de perto e trocar uma ideia com a tal saia. Quase uma terapia de casal. Mas o diagnóstico foi rápido. Bastou puxá-la pra fora da arara, para me deparar com um formato que mais parecia alguma versão mais rebuscada de um avental do que uma saia propriamente dita.

Tadinha, como se não bastasse ser xadrez rosa, ainda tinha umas amarrações na frente que exclamavam “me use para cozinhar”.

A verdade (e o fim dessa história sem fim) é que não tinha nenhum motivo pra levar a bichinha pra casa, a não ser pela simpatia enorme que eu senti por ela ter ficado largada tanto tempo lá simplesmente por ter carinha de avental.

Então, sem mais delongas, o meu look avental rock.

Sim, como eu já tava de saia rosa com cara de avental, achei que um bom jeito de equiibrar essa história seria com todo o resto do look pendendo mais pro rock. E foi assim que incorporei as ankleboots, a camisa regata e a bolsa de franjas.

Por fim, achei que a saia tinha um clima vintage que dava pra explorar, então, terminei o look com o ocúlos mais gatinha do armário e, no fim das contas, achei que tudo combinou bem e ficou com carinha de rock dos anos 60.

Ah, e o que dizer do batom? Não resisti. Já tinha pink na saia e eu pensei: um tiquinho a mais de rosa na vida não faz mal a ninguém.
Créditos:
Blusa: Topshop
Saia: Maria Bonita Extra
Ankleboot: Urban Outfitters
Óculos: Zero UV
Bolsa: Renner
Batom: Relentlessly Red da MAC