Inferno astral, só que não
27 de Março de 2014 POR Jojo COMENTA AQUI!
Preciso confessar que ando achando tão estranho estar a menos de uma semana do meu aniversário e não estar sentindo os efeitos malignos do inferno astral.

Todo ano, chega o meio de março e parece que as coisas dão aquela desandada de leve, só pra te deixar um pouquinho irritada. Mas, não sei porque milagre, estamos a menos de uma semana do início da minha terceira década (ooops, é verdade! QUARTA década! OMG) e, apesar de um montão de trabalho e coisas pra fazer, hoje eu levantei da cama devagarzinho, tomei um banho delícia e parei na frente do armário toda alegrinha e inspirada pra me vestir.
E, como tá tudo diferente esse ano, resolvi ousar. Afinal de conta, os 30 tão aí pra que se não for pra deixar a gente mais à vontade pra fazer o que dá na cabeça?
Achei um vestido que comprei há um tempinho e nunca tinha usado. Ele é da coleção que a Isabel Marant assinou pra H&M. Encontrei com ele por acaso na minha viagem pro Chile no ano passado. Tinha um mês que a coleção tinha chegado às lojas e eu achava que já não ia ter mais nada, mas, pra minha surpresa, encontrei um corner inteirinho da loja com um tantão de coisa que tinha sobrado.
Na époda, achei ele todo lindo e bem diferente das coisas que eu tenho. E ainda tinha o bônus da empolgação de ser uma peça da coleção. Achei que valia à pena. Mas a verdade é que cheguei em casa e percebi que ele não fazia muito o meu estilo. Ele tem essa coisa toda meio boho, largona, mangas compridas. Deixei ele lá quietinho.
Mas, como eu falei, hoje parecia que tava tudo diferente. Catei o vestido e montei esse look em dois minutos. A meta era ser exótico (sem ser estranho) e boho (sem ser clichê). Ficou assim ó:
Vamos ao passo a passo do raciocínio:
– primeiro veio o cinto pra deixar tudo menos camisolão, porque uma cinturinha marcada nunca fez mal a ninguém
– depois veio o turbante. Na verdade, ele entrou em cena porque eu achei que precisava de alguma coisa na cabeça pro look pular do status de perua hippie para boho sem clichê. E, como a ideia é manter o glamour em alta, o turbante em questão é todinho prateado #beijinhonoombro
– aí veio a bota. Assim como veio o turbante pra dar mais personalidade pra história toda, achei que uma bota pesadinha e chique daria toda uma elegância pesada pro vestido fluido. Sempre gosto dessa mistura de sapatos pesados com vestidos leves. Sempre acho que ganha em personalidade pras sandalinhas.
– por fim, a bolsa de franjas veio pra completar o clima estampa de cobra + bota. Uma micro referência western que acho que tem tudo a ver com esse clima boho
E, pra terminar, aproveitando o meu bom humor pré aniversário, tô pensando numa coisa bem legal pra fazer aqui no blog pra comemorar. Mas vou fazer um suspensinho antes de contar! (não me culpem, ariana tem dessas coisas 🙂
Créditos:
Vestido: H&M
Ankleboot: Schutz
Cinto: Shoestock
Turbante: Asos
Bolsa: Renner