A década do vermelho
3 de Abril de 2014 POR Jojo COMENTA AQUI!
Gente, vou falar uma coisa procês. Tô achando bom esse negócio de bater a casinha do 3.0.Eu sempre amei muito aniversário. O pessoal diz que é porque eu sou ariana e ariana gosta de ser o centro das atenções. E eu achei que esse ano seria diferente. Especialmente porque eu amava dizer que tinha 29. Tava toda querendo que esse aniver passasse mais batido só pra continuar falando ocasionalmente por aí que eu tava na casa dos 20.

Mas aí eu acordei ontem, ganhei o abraço mais delícia de todos e fui abrir o armário pra seguir a minha rotina habitual de se arrumar pro trabalho. Eu não sei explicar o que me deu. Só sei que senti uma vontade inexplicável de sair toda de vermelho. Dos pés à cabeça. Das unhas descascadas  ao batom. O vestido era mero detalhe, era só um espelho do que tava saindo pelos poros.

Quando juntei tudo e parei na frente do espelho, tudo fez todo sentido. Lembrei da minha mãe me falando no telefone semana passada (tentando me consolar porque eu não queria ficar mais velha): “Minha filha, os 30 são fantásticos.”

Olhei no espelho e me dei conta de que os 30 gritam vermelho. Uma década que vem pra falar no seu ouvido: “Vai lá. Você sabe que consegue. Vai lá! Olha quanta coisa você já viveu! Olha quanta coisa você já provou! Quer sair toda de vermelho? Vai!”

Chega uma hora da vida que a gente sabe o quanto o tempo é precioso. O quanto amar é um sentimento que não tem ponto de interrogação. O quanto ser você mesma não é uma alternativa, é a única saída (e, diga-se de passagem, a mais deliciosa de todas).

Olhei no espelho e a ficha caiu. Vamo lá viver cada ano porque andar pra trás não é opção pra ninguém.

Então ontem (hoje e amanhã) é tempo de vermelho. Não no look, mas na ousadia, na certeza de que dá pra ser o que a gente quiser.

Mas eu já tô falando demais. É só porque eu tô inspirada mesmo porque o dia ontem foi bem lindo. Mas vamo ao look.

O vestido, vermelho, é muito amado porque, como vocês sabem, eu amo roupa com história. E esse vestido é de uma coleção histórica inspirada no Volpi, da época em que a Maria Bonita Extra era a epítome da moda com charme de Brasil e qualidade de internacional (aliás, uma pena ver a situação que a marca se encontra hoje, cês viram?).

O sapato foi escolhido no meio do rompante vermelho justamente por ser exatamente da mesma cor do vestido. E até o batom entrou na história, porque, olha a coincidência, o Ruby Woo também era o mesmo tom de vermelho.

E, pra quebrar, porque a gente ama, achei que as listras PB da maxi carteira seriam um sopro de ar fresco no meio de tanta vermelhidão. Eu achei que funcionou, cês acharam?

Bem, é isso pessoal. Chega de falar que eu ainda tenho que me recuperar das emoções de ontem.

E muito obrigada e um abraço apertado pra todo mundo que mandou mensagens super fofas de parabéns ontem. Vocês fazem todos os dias serem bem mais legais.

Créditos:

Vestido: Maria Bonita Extra
Sapato: Maria Bonita Extra
Carteira: lojinha do museu lá em Tóquio
Batom: Ruby Woo