Por mais fins de semana sem looks
1 de Abril de 2014 POR Jojo COMENTA AQUI!
Sempre que eu sento na frente do computador pra escrever o post de cada dia, antes de entrar no blogger, eu dou uma passadinha pelo Facebook, outra pelo Instagram e, finalmente, mais uma por um desses sites de notícias grandões. Tudo isso porque eu sempre acho que dar uma olhada no que anda acontecendo no mundo me dá um tiquinho de inspiração pra escrever alguma coisa um pouquinho diferente por aqui a cada dia.Ontem, quando comecei a minha rotina informativa, me deparei com um montão de posts e fotos e matérias super ilustradas sobre as preparações para o primeiro dia de SPFW. Ví todas as blogueiras lindas que eu sigo no Insta soltando a criatividade em looks hiper elaborados e pensados para cada desfile. Ví as minhas amigas jornalistas de moda passando sufoco pra escolher uma roupa que seja bacana e, ao mesmo tempo, confortável o suficiente pra aguentar a correria da semana.

Achei engraçado me deparar com tudo isso justamente no dia em que eu não tenho nenhum look pra mostrar e fiquei pensando no quanto da nossa vida a gente passa pensando no que vai vestir.

Não tô falando só em Fashion Week. Tô falando da roupa do trabalho, da roupa do encontro com um carinha novo, da roupa da balada, do happy, do casamento da melhor amiga, do Reveillon na praia, das férias no frio, do almoço de domingo. Tudo exige look. E a gente tá sempre pensando, experimentando, se desdobrando pra estar adequada (e linda?) sempre.

Boa parte das vezes esse processo todo é muito divertido. Especialmente quando você tá se arrumando pra um evento bacana pro qual você teve tempo de se preparar e chegar exatamente no resultado que você queria. Mas a verdade é que essa coisa de escolher roupa e pensar em look dá uma canseira danada.

Eu passei o fim de semana todo na praia. Numa casinha escondida lá do ladinho de Floripa, de  frente pro mar e pras fazendas de mexilhões. Tinha levado uma mala com vários looks estrategicamente pensados para programas praianos lá em Búzios (cês lembram que eu falei que achava que era pra lá que eu ia?). Mas, cheguei lá e dei de cara com esse cenário aqui ó:

 

 

 

Era só eu, ele, o mar e uma perereca fofa que ficava grudada no vidro da varanda. Simplicidade que faz a gente querer ver as coisas de outro jeito, entrar num outro ritmo.

Nem sei dizer quando foi o último fim de semana que eu fiz tão pouca coisa e foi tão bom.

E aqui eu, finalmente, faço o meu ponto: uma mala cheinha de looks. Eu botei um biquini, uma blusa velha e soltinha preta e assim permaneci. Cabelo desgrenhado, todo duro de sal. Pele oleosa de protetor solar. Dia seguinte, troca o biquini e a blusa velha, mas o desgrenhamento e o clima permanecem.

E foi assim, sem maquiagem nem secador, que eu passei um dos melhores fins de semana de 2014.

No fim, o tucanário que veio na mala só serviu mesmo pra enfeitar a paisagem.