A lojinha que tem tudo e a saia que escapou da lojinha
29 de Janeiro de 2015 POR Jojo COMENTA AQUI!
O post de hoje é do balacobaco! Cheio de coisa linda, transformations e inovations, mas, antes de mais nada, queria convidar todo mundo pra minha nova lojinha linda, bombante e avassaladora no Enjoei.Sério, minha gente, nunca dantes na história deste site, uma lojinha foi tão MEGA. Pra quem sempre fala que gosta da decoração aqui de casa, então, é um prato cheio! Tô fazendo reforma na vida e boa parte dos meus badulaques de casa foi parar nas páginas do Enjoei! Mas, se você não é dessas que liga pra decoration, não se apoquente. Tem roupa pra dar e vender, brinks! Só pra vender, mas tem de montão.

E, como sempre, o povo lá do Enjoei, trata de fazer umas artes bem bonitas pra mandar nos emails bem simpáticos deles e eu trato de mandar o ctrl C crtl V pra deixar o blog tão charmoso quanto a lojita.

Dito isso, clica logo aqui pra dar uma olhadinha.

Agora, vamos à programação normal. Ontem já tinha dado a dica no Instagram (@mourajo) que o post seria sobre transformações. E, como toda transformação que se preze tem um antes e um depois, vamos começar pelo antes. Quem se lembra dessa moça com carinha de criança aqui?

 

Pois é, lááááá em 2011, essa mocinha com franja de lado era eu 🙂 E, vou confessar uma coisa procês, esse vestido aí, que aparece todo gatinho na foto, já tava apertado. Mas, sabe como é, né? Um ano sem comprar, a gente faz qualquer negócio pra usar uma roupinha diferente, até quase deixar o braço perder a circulação de tão apertada que a manga tava.

Anos depois, incontáveis lojinhas do Enjoei que levaram boa parte do que não me servia mais no armário, e esse vestido sobreviveu. Ele sempre foi a minha medida da magreza. Ficava pensando que, quando emagrecesse, ia conseguir usá-lo sem medo de gangrenar o braço. E sempre achei a estampa tão linda… Da época áurea da Maria Bonita Extra, de estampas tão icônicas que a gente sabia de longe de qual coleção era a roupa só de olhar pra elas.

Pois bem, 2015 chegou e eu resolvi fazer faxina na vida. Guardar mesmo só o que me tem utilidade e me traz alegria. E o vestido não cabia mais nesses critérios. Então, foi assim, que ele saiu da minha vida. Calma, gente, a história não é triste.

Com o meu apego de um lado e a razão do outro, resolvi equilibrar a balança e reciclar o tal vestido tão amado. Levei na costureira, mandei cortar a parte de cima fora e transformar numa saia. Nada muito complexo, nenhuma costureira muito badalada. Simplesmente, fui na esquina de casa, na moça que faz as minhas bainhas e dei as instruções do que eu imaginava.

Uma semana depois e pela modesta quantia de R$40,00, cá estou eu de saia nova.

Muito feliz com a reforma e todas as possibilidades novas em folha que a saia vai trazer pro armário. E, para a estréia da saia recém-nascida, escolhi uma camisa branca, pra contrastar bem com a estampa linda, e dei um nozinho pra deixar a cintura mais marcada. Ficou lindo, leve, confortável. Ótimo pra um dia de trabalho.

Na mesma leva da saia, levei uma pantalona pra reformar. Em breve mostro pra vocês o que ela virou.

Entonces, amiguinhos, a lição de hoje é que vender coisa na lojinha do Enjoei é bom demais. MAS, se tem uma coisa que você realmente ama, abra a cabeça e consulte a costureira do seu bairro pra ver o que dá pra fazer com ela. Vai que nasce uma peça toda nova dessa história?

Créditos:

Saia (que era vestido): Maria Bonita Extra
Camisa: Turquesa
Colar: Drê Magalhães na MyFots
Sandália: Schutz