Azul, amarelo e branco e muito amor
17 de Março de 2015 POR Jojo COMENTA AQUI!
Prepara! Nunca dantes, na história deste blog, houve um post com tamanha quantidade de fotos.Sim, ainda estamos no assunto casamento. Sim, prometo que, em breve, esse assunto se esgota e a gente volta pra programação normal.

Na sexta-feira eu mostrei um pouquinho da decoração da cerimônia e prometi fazer mais um post com a decoração da festa. Achei que, assim, dividindo em dois pedaços, dava pra fazer dois posts mais curtinhos pra não deixar ninguém de saco cheio do assunto. Acabou que o primeiro deu super certo e o post da cerimônia ficou de um tamanho bem normal. Mas hoje não deu não. Fui pegando uma fotinho daqui, um ângulo da mesa de doces, um detalhe do teto e, quando eu ví, já tinha tanta foto que tive que me forçar a parar.

Então, já que vamos exagerar nas fotos, vou tentar ser mais concisa do que de costume com as palavras. Ok, acho que também não vai dar. Bem, fica aqui o meu aval pra se você quiser pular o texto e só ver as fotos. Vamo lá!

Depois de 7 meses organizando um casamento, me dei conta de uma coisa: pode perguntar pra qualquer decorador qual o item mais importante da decoração do casório e você vai ouvir uma única resposta “a mesa de doces”.

A nossa mesa de doces ficava logo na entrada da festa, portanto, era praticamente a primeira coisa que as pessoas viam quando entravam. A festa toda tinha uma decoração mais pro rústico, com um monte de coisa feita à mão e tudo em tons de azul, branco e amarelo e a mesa de doces era o lugar perfeito pra gente já dar um gostinho de tudo isso logo de cara.

Quando comecei a conversar com a Oh Lindeza sobre a mesa, fui logo falando que queria um muro inglês no fundo (pra quem não conhece o jargão, muro inglês é aquela parede de plantas que um monte de gente usa em eventos – eu também não sabia o que era até resolver casar). Ao invés do tal muro, elas propuseram uma alternativa muito mais tropical e ainda mais charmosa: três estantes com espaços quadradinhos em que alternamos samambaias e arranjos de suculentas.

O azul, branco e amarelo ficaram por conta das forminhas de doces (também escolhidas a dedo pela Oh Lindeza) e por dois arranjos de flores lindões nas extremidades da mesa.

 

E como não falar do bolo? Quando começamos a pensar em como seria a festa, a gente tava doido pra cortar custo onde desse e eu mesma me pronunciei: “Bolo pra que? Eu nunca comi bolo em casamento! Ter bolo só pra tirar foto? Ah, não! Muito caro!” Corta. 7 meses depois, temos essa coisa linda de bolo coroando a nossa mesa de doces. Eu não comi o bolo no dia, mas ouvi dezenas de elogios de gente que comeu e amou. E no dia seguinte nada caiu melhor na minha ressaca do que um pedaço bem generoso dessa delícia geladinha.

Eu confesso que a ideia do bolo branco com suculentas não foi minha. Foi cópia mesmo, descarada, desse bolo aqui. Mas o topo de bolo foi originalidade pura: feito de madeira, especialmente com as nossas iniciais do jeitinho que tava no convite do casamento.

Aí, passado o encanto da mesa de doces, a pessoa olhava pro resto da festa.

Eu falei pra vocês no post sobre a decoração da cerimônia que escolher um lugar que já seja bonito é meio caminho andado. O nosso casamento (cerimônia + festa) foi todo no mesmo lugar. Uma pousadinha na Praia da Tartaruga. A pousada em si não é grande, mas tem um gramado lindo e aconchegante de frente pro mar (onde rolou a cerimônia). Logo ao lado, atravessando uma mini ruazinha de areia, fica o restaurante: um espaço grande, com toldo bem alto e quiosques de palha, também de frente pro mar.

Boa parte das mesas e cadeiras já eram da casa, então, só alugamos os móveis necessários pra complementar e embelezar ainda mais o lugar.

No teto dos quiosques, as meninas alternaram mini luminárias japonesas pintadas com as cores do casamento (iguais as que vocês viram no post da cerimônia), com vasinhos de flores brancas e amarelinhas.

Ao longo do espaço, vários lounges foram montados pro pessoal sentar, bater papo, interagir ou descansar da folia na pista de dança. As almofadas foram todas pintadas à mão com as cores e estampas desenhadas pro casório (e agora enfeitam o meu sofá de casa :-).

O mais legal é que a decoração de cada mesinha de centro de cada um dos lounges era diferente. Numa, livros, conchinhas e um conjunto de chaves que soletravam L.O.V.E. Em outra, garrafas de vários tamanhos com arranjos diferentes de flores, vasinhos com cactos e suculentas e potinhos de cerâmica e vidro.

A verdade é que montar as mesas de jeitinhos diferentes foi uma solução pra caber no nosso orçamento. Montar mesas com tudo que se tem direito (pratos, talheres, copos, etc) custa caro. Tem que alugar tudo, é uma doidera. E o nosso buffet era volante, com mini porções já prontas, então nem precisava mesmo. Por isso, cada mesa tinha uma porção de objetos fofos, mas só as mesas da família foram montadas completinhas.

Escolhemos as mesas da família porque geralmente é onde senta o pessoal mais velho. Que vai querer comer sentadinho, com conforto. E porque, no fim das contas, família é família e o casamento é muito pra eles também.

Como eu falei, foram só duas mesas, mas eram mesas grandonas e 8 pessoas e deu o maior impacto no visual da festa sem ter que gastar tanto assim. Ó só que lindeza:

Pra mim, essa mesa foi a obra prima da festa. Era exatamente o que eu tinha imaginado. Rústica, mas elegante. Alegre, mas romântica. Com cara de casamento na praia. Com a cara da gente. Amei o conjunto todo e amei cada detalhe.

Dos jogos americanos pintados à mão, aos talheres de bambu e taças de vidro azul.

Das conchinhas jogadas despretensiosamente, ao porta guardanapo de biscuit com as nossas iniciais.

Do cardápio fofo com raminho de alecrim, aos arranjos de flores dentro de livros antigos. Puro amor.

Mas o que foi mais legal de trabalhar com a Oh Lindeza foi o quanto de ideias bacanas elas trouxeram pra gente. Uma das mais legais foi o varal de recados. Um cantinho que mais parecia um quarto fofo na casa de alguém do que um pedaço de uma festa de casamento. A ideia era deixar as pessoas confortáveis pra escreverem recadinhos pra gente e pendurá-los no varal.

Como a gente gosta muito de viajar, o tema do espaço foi esse. De um lado, um mural com fotos das nossas viagens pelo Brasil e pelo mundo. Do outro, um mapa mundi com todos os lugares que já visitamos marcados com mini corações.

Isso sem contar com o lugar fofo pros convidados carregarem o celular durante a festa.

Por fim, uma das minhas fotos preferidas da festa e um dos meus elementos favoritos da decoração (e que eu fiz questão desde o início): o teto estrelado de gambiarras. Tudo lindo. Tudo como a gente sonhou.

E viva o amor!