Somos todas plus size?
23 de Abril de 2015 POR Jojo COMENTA AQUI!
Adoro seguir o BuzzFeed. Além das listas que me fazem chorar de rir, eles estão sempre fazendo matérias geniais abordando assuntos sérios de um jeito que ninguém nunca fez antes.O meu mais novo artigo preferido é esse aqui. Em que duas mulheres  resolvem mostrar a diferença entre como uma roupa plus size veste numa modelo considerada plus size e como ela veste numa pessoa normal.

Kristin e Sheridan contam sobre suas experiências comprando roupas pela internet e como elas se sentem quando recebem as roupas em casa. Segundo elas, infelizmente, tamanhos maiores ainda não são uma realidade em boa parte das lojas físicas (mesmo aqui nos EUA) e, maioria das vezes, elas tem que recorrer a internet pra encontrarem o que querem. O problema é que, pra fazerem suas escolhas online, tem que abrir mão de experimentar as peças e confiar somente nas fotos das modelos vestindo as roupas. Mas as modelos plus size dificilmente refletem a realidade da mulher mais cheinha e a compra de uma peça nova que deveria fazer com que as moças se sentissem bonitas e felizes consigo mesmas, tem exatamente o efeito contrário, jogando a auto-estima lá embaixo.

A maneira como Kristin e Sheridan lidam com o assunto na matéria é divertido e sarcástico, mas demonstra um problema sério que não diz respeito somente a mulheres consideradas plus size.

Você já parou pra pensar em como somos todas “plus size” aos olhos da moda? Você que veste 40, ou 42, entra nos sites pra comprar uma roupa e dá de cara com o que? Uma modelo que veste 36. Vai me dizer que a roupa vai chegar em casa e vai ficar igual ao que fica na modelo?

Eu visto 40, não sou muito voluptuosa, nunca tive muito peito, muita bunda, mas hoje sou feliz com o corpo que tenho. Mesmo assim, confesso que, muitas vezes, já me identifiquei mais com as modelos plus size dos sites do que com as modelos magrinhas que usam 36. E isso sempre me faz questionar: qual percentual da população realmente se identifica com a modelo magrinha? Claro que tem gente magra que vai se identificar. Mas cadê a diversidade, Brasil?

Prova disso é essa outra matéria aqui. Essa moça, a modelo australiana Stefania Ferrario, lançou um protesto em seu Instagram recentemente, contando sobre sua frustração ao ser rotulada como uma modelo plus size. Detalhe: ela veste 38/40, gente!!!! Segundo ela, o rótulo em si é uma maneira de jogar mulheres pra baixo, fazendo com que se sintam diferentes das outras e, por isso, menos bonitas.

Eu acredito que, não importa o seu tamanho, é possível ser e se sentir bonita de qualquer maneira. O que eu queria é que mais marcas de moda compartilhassem desse pensamento e retratassem mais mulheres e suas belezas diversas de forma mais verdadeira. Assim, num futuro próximo, talvez Kristin e Sheridan possam ter mais sorte nas suas compras internéticas. E nós também.