O meu 2015 azul
1 de Janeiro de 2016 POR Jojo COMENTA AQUI!

Pra começar: feliz ano novo, minha gente! Um 2016 lindo, cheio de paz, amor, saúde e aprendizados pra todas nós!

Dito isso, esse post era pra ter entrado ontem, mas sabe como é último dia do ano de férias no Havaí, né? Tudo que eu queria era areia, sol, mar e nadica de computador.

A verdade é que uma das coisas mais legais dessa história de ficar fotografando looks do dia é que a gente consegue ter um registro do nosso estilo (e das fases pelas quais ele passa) ao longo do tempo. Então, dia desses, eu resolvi clicar nos looks (no menu aqui em cima) e me auto-analisar. Eu sempre achei que roupa tem muito a dizer sobre a gente (nossos humores, ambições)  e achei que o exercício seria, no mínimo, interessante. E foi.

Em poucos cliques, percebi o óbvio. O meu ano foi azul. Eu confesso, não sei se foi influência da parede atrás de mim ou se foi o clima mais frio de SanFran que combina tão bem com tons mais frios. Não sei se foi o céu azul da janela que ocupa metade da sala lá de casa. Só sei que passou inverno e verão e eu continuei azul.

Azul

Também percebi que foi o ano do jeans (talvez o grande responsável pelo azul) e isso me fez pensar que esse ano foi descomplicado. Tinha tudo pra não ser, né? Mudamos de país, eu mudei não só de emprego, mas de ocupação. Fiquei longe dos meus amigos, longe da minha família. Mas tudo isso não atrapalhou a naturalidade com que conseguimos construir uma nova vida. Uma vida mais em sintonia com a gente, mais calma, mais simples, mais cúmplice, mas cheia de pequenas aventuras que preencheram nossos dias. Descobrimos um bairro novo, fizemos novos amigos, bebemos em novos bares, viajamos pra novos lugares, chamamos uma nova cidade de casa. Tudo com a calma de quem sabe que está seguindo o rumo que escolheu.

Azul

Sim, foi um ano de menos looks do dia. E até isso diz muito. Trabalhar em casa significou não ter que se emperequetar diariamente para reuniões ou almoços. Significou vestir menos, que, por sua vez, significou comprar menos, que, por sua vez, significou comprar melhor e se vestir melhor. Não, não estou dizendo que fiquei mais elegante, só que fiquei mais em sintonia comigo mesma.

Azul

Por fim, dessa conta toda, azul + descomplicação + looks poucos e bons, acho que fica a sensação de que foi um ano gostoso demais. Um ano em que eu resolvi me fazer bem, cuidar de mim e ser mais feliz.

Em 2016 eu não peço nada não. Só quero continuar nessa levada azul que tá boa demais.

Azul