Alimento pro pensamento: mulheres grafiteiras, islamofobia e o Mark Zuckerberg
4 de Abril de 2016 POR Jojo COMENTA AQUI!

Queria começar agradecendo o carinho enorme que eu recebi nesse final de semana, por conta do meu anivers! Muito, muito obrigada por todas as mensagens. Elas fizeram do meu 2 de abril um dia ainda mais especial!

E já que hoje é domingão, vamos começar o meu novo ano de vida com inspiração, né? Aqui vão algumas das delícias que encontrei por aí essa semana.

1. SOBRE MULHERES GRAFITEIRAS

Adorei ter me deparado com essa lista incrível de 30 mulheres artistas de rua  que mandam muito bem e que todo mundo deveria conhecer. Vale olhar com calma e entrar em todos os links pra conhecer o trabalho de cada uma. É inspiração pra mais de ano!

Lola Cauchick

2. SOBRE FAMÍLIAS “NORMAIS”

Tem um vídeo muito legal rolando na internet de um trechinho do Altas Horas deste último sábado. Um dos convidados do programa era André Lodi, de 14 anos. André falou sobre o fato de ter duas mães e respondeu perguntas da platéia. Uma de suas respostas foi especialmente maravilhosa. Quando questionado por outro jovem da sua idade, sobre sua reação ao descobrir que tinhas duas mães, André respondeu: “E quando foi que você descobriu que tinha pai e mãe?”.

AndréLodi

Lindo e inspirador. Não importa o formato, família é onde existe amor, cuidado, carinho.

O vídeo tá aqui.

3. SOBRE ISLAMOFOBIA E A IMPORTÂNCIA DO DIÁLOGO

Mona Haydar é muçulmana. Descendente Síria, Mona nasceu e foi criada em Michigan, nos EUA. Em 2013, ela conheceu Sebastian Robins, um americano com quem se casou. Hoje o casal mora em Massachusetts, onde criam seu filhinho de dois anos.

Em Dezembro do ano passado, após os ataques de Paris, o casal sentiu na pele o preconceito. Depois de assistir ao crescente discurso islamofóbico por parte de políticos americanos, eles resolveram tomar uma atitude. Os dois acordaram um dia e foram até a frente de uma escola em Cambridge onde montaram um pequeno stand. Enquanto o casal oferecia donuts e café para quem passasse, os cartazes ao lado de cada um diziam: “Fale com um muçulmano.” e “Faça uma pergunta a um muçulmano.”

Sempre com um sorriso no rosto, a ideia era convidar as pessoas ao diálogo, tirar dúvidas e mostrar que eles eram uma família como qualquer outra.

 

Segundo Mona, de forma geral, a recepção das pessoas foi generosa e gentil. Ela ficou especialmente comovida com um menino muçulmano que frequentava a escola e, ao passar pelo casal, agradeceu pela iniciativa e pediu para tirar uma foto com eles.

De lá pra cá, Mona e Sebastian continuam tentando mostrar para sua comunidade que há muito beleza e amor no mundo do que ódio. E, com diálogo e compaixão, tudo fica ainda melhor.

4. SOBRE A INDÚSTRIA DO “CORPO SAUDÁVEL”

Gostei bastante desse texto aqui da Paola Altheia, nutricionista formada pela UFPR e criadora do projeto Não Sou Exposição, sobre a criação de uma indústria do “corpo saudável” que nos pressiona a buscar um padrão de saudabilidade que, muitas vezes, acaba sendo mais prejudicial do que benéfico.

Vale ler e refletir. Na minha opinião, nenhuma dieta mirabolante consegue substituir o bom e velho equilíbrio.

PaolaAltheia

5. SOBRE O 1º DE ABRIL

Pra gente fechar esse post com muito bom humor, essa aqui foi a minha pegadinha preferida do 1º de Abril. Um site inteirinho dedicado a uma suposta parceria entre Mark Zuckerberg e a H&M. Com o intuito de ajudar as pessoas a ter menos uma coisa com a qual se preocupar na hora de se vestir pela manhã, a coleção era composta apenas por uma calça jeans e cinco camisetas cinza idênticas. A piada fazia referência ao fato de Mark ser sempre visto com a mesma roupa.

MarkforH&M

Lógico que era tudo uma brincadeira que não teve participação nem da H&M, nem do Mark. Mas eu achei bem engraçado.