Alimento pro pensamento: poluição, desperdício, discriminação e esperança
29 de agosto de 2016 POR Jojo COMENTA AQUI!

Pra começar a semana cheia de inspiração! Hoje tem um monte de assunto interessante por aqui. Bora?

SOBRE LINGERIE E CORPOS DE VERDADE

A marca de lingerie neo-zelandesa Lonely é famosa por questionar convencionalismos. Assim como a Gioconda (que esteve no último Achadões), a Lonely acredita em menos Photoshop e mais corpos reais, lindos em seus diversos tamanhos e perfeitos em suas imperfeições.

Uma das iniciativas da marca, inclusive, é o Lonely Girls Project, uma série fotográfica de retratos de mulheres em seus ambientes cotidianos usando lingerie. O mais legal, lógico, são as próprias mulheres que protagonizam os retratos. Mulheres lindas, talentosas, cheias de histórias pra contar e (o mais legal) verdadeiras, reais.

As duas últimas moças a protagonizarem fotos do projeto foram Lena Dunham e Jemima Kirke, amigas dentro e fora da série Girls, em que ambas atuam (e Lena escreve, produz e, vira e mexe, dirige também). Dá uma olhada:

lena-and-jem-1 lena-and-jem-2

Eu adorei as fotos. Fiquei com vontade de entrar nas cenas e ficar batendo papo com as duas. E, de quebra, ainda amei as lingeries.

SOBRE BURKINIS E INTOLERÂNCIA

Uma mulher muçulmana estava numa praia em Nice quando foi abordada por policiais que a obrigaram a tirar parte da roupa que cobria seu corpo e cabeça. A ação dos policiais é resultado de uma lei, agora presente em 15 cidades francesas, que proíbe a utilização do “burkini” nas praias da região.

O pior? Relatos de pessoas que estavam presentes durante a ação contam que, enquanto os policiais abordavam a mulher, tinha gente gritando: “Vá pra casa!”.

O traje comumente utilizado por muçulmanas está banido de diversas praias francesas. As cidades alegam que os trajes são desrespeitosos por demonstrarem publicamente adesão à religião num momento em que a França é alvo de ataques terroristas.

Eu nem consigo começar a explicar o quanto eu acho isso absurdo. A generalização de uma religião, a retaliação da intolerância com mais intolerância, a exposição e criminalização da mulher. É tanta coisa errada junta que fica difícil até começar a discutir.

Mas há esperança. No meio disso tudo, dei de cara com esse post da Dazed:

Pois é, em meio a toda essa intolerância, teve uma galera em Londres que se juntou num “Wear What You Want” Beach Party, um ato de solidariedade com o tema “Vista o que quiser” na frente da embaixada Francesa em Londres.

SOBRE FRUTA FEIA E DESPERDÍCIO

Você sabia que cerca de 30% da produção de frutas e legumes acontece porque os canais de distribuição preferem alimentos dentro de um determinado padrão estético? Sim. Frutas e legumes também são discriminados por sua aparência, gente!

Todos os dias um tanto de vegetais vão pro lixo simplesmente porque não são bonitos o suficiente para figurarem nas prateleiras dos supermercados. Isso significa um desperdício ENORME de comida e dos recursos ambientais que foram consumidos para a produção desses alimentos.

A cooperativa portuguesa Fruta Feia surge justamente combater esse problema e tentar inverter essas tendências de padronização de frutas e legumes que nada têm a ver com questões de segurança e qualidade alimentar. A ideia é criar um mercado alternativo que valorize as frutas “feias”, evitando o desperdício.

A cooperativa trabalha recolhendo as frutas e legumes “feios” diretamente dos produtores e preparam cestas com os produtos. As cestas são então vendidas aos consumidores associados à iniciativa em locais de recolhimento pré determinados.

fruta-feia-cabaz-semanal

Não é incrível? Alguém conhece alguma iniciativa como essa no Brasil? Se sim, comenta aqui pra gente ficar conhecendo e poder divulgar também.

SOBRE TRANSFORMAR POLUIÇÃO

A Gravïky Labs, empresa indiana de tecnologia, desenvolveu uma maneira de usar a poluição do escapamento de carros para produzir tinta. Olha que coisa incrível! O mecanismo (que pode ser acoplado em carros, barcos, e até chaminés) transforma o carbono produzido pela combustão (que faz mal ao meio ambiente e aos nossos pulmões) em tinta preta.

Segundo Anirudh Sharma, co-fundador da Gravïky Labs e líder do projeto Air Ink, 30 ml de tinta equivalem a 45 minutos de emissões.

A emrpesa ainda se uniu à Tiger Beer num projeto ainda mais legal: convidar artistas para usarem a Air Ink e criarem murais de rua espalhados por Hong Kong.

O PEQUENO PRÍNCIPE

Aqui é lugar de coisas que inspiram a gente né? Seja uma notícia que fez você pensar, seja uma foto que te trouxe um novo ponto de vista, ou até um filme que te fez feliz, certo?

Pois ontem foi dia de filme. Final do dia, fatia de pizza numa das mãos, controle remoto na outra. Eu e o homi estávamos doidos pra ver O Pequeno Príncipe (animação que acaba de sair do forno, disponível no Netflix).

Eu tinha lido o livro na infância e lembro de me encantar pela história (mas, confesso, muita coisa se perdeu da minha memória). O filme foi tão bom quanto eu imaginava. Estética incrível, atuação impecável de Jeff Bridges (que faz a voz do aviador) e uma história que não podia ser mais linda e inspiradora. Dá uma olhada no trailer:

Recomendo demais. Mesmo!