Vestido de festa: você não precisa de um novo
30 de agosto de 2017 POR Jojo COMENTA AQUI!

Nesse momento, eu tô dentro de um avião, voltando de uma passagem relâmpago pelo Rio. O motivo da viagem? O casamento de uma amiga muito querida.

E cá estou eu, escrevendo esse post em parte porque já vi três filmes e 4 séries e ainda faltam 3 horas até o avião aterrisar, em parte porque tô bem orgulhosa de mim e queria compartilhar esse sentimento.

Preciso ser muito honesta. Toda vez que chega um convite de casamento lá em casa, a primeira coisa que vem na minha cabeça é: “Eita! Preciso comprar um vestido novo!”

giphy-1

Sempre foi assim. Bastava ser convidada pra um evento desse porte que o meu cérebro simplesmente ignorava tudo o que existia dentro do armário e já ia se imaginando navegando pelo site da Asos pra ver se não tinha algum vestido digno do Oscar perdido por uma pechincha.

Durante muito tempo, eu cedi a esse impulso. Catei vestidos longos, lindos e brilhosos e me convenci de que eles nem eram tão caros assim. Afinal de contar, estamos falando de vestido de festa e vestido de festa é caro por natureza, né?

Mas a verdade é que pensar assim vai contra tudo o que eu aprendi ao longo desses anos de blog. Uma das coisas que eu mais pra quem me pede ajuda pra rever a relação com a moda é que preço é só um número e que o verdadeiro custo-benefício das roupas está na quantidade de vezes que a gente usa ela. Exemplo prático: uma peça custou 100 reais e você só usou uma vez? Sinto informar que esse foi um péssimo negócio. Maaaaaaas, se a peça custou os mesmos 100 reais e você usou a bichinha 100 vezes, entonces foi pechincha mesmo.

Dito isso, já dá pra entender o problema do nosso raciocínio inicial sobre roupa de festa, né? Afinal, quanto custa em média um vestido de festa bonitão? 300 reais? 500? 1.000? 5.000? Independente do valor, se for pra usar uma vez só, já dá pra perceber que o custo-benefício não vai ser nada bom, né não?

Ok, Jô. Entendo, mas realmente não gosto de ficar repetindo roupa de festa. Pois é, a gente tem isso, né? E fica a pergunta: porque a gente não se importa em repetir roupa de trabalho toda semana, mas se incomoda tanto em repetir roupa de festa de vez em quando?

Eu tenho uma teoria: a culpa é das fotos.

Sim, das fotos. Eu explico.

A verdade é que ninguém vai te fotografar sentada de jeans e camiseta toda semana no seu trabalho. Ninguém vai lá te clicar enquanto você tá estressada no seu terninho. Já no casório? É foto pra todo lado. E fotos que vão ficar para a eternidade (ou até que os noivos se separem e deletem qualquer vestígio da relação das redes sociais). Procura aí bem fundo de você e vê se o que eu tô dizendo não faz um baita de um sentido.

E eu tô falando tudo isso porque eu acho que é importantíssimo a gente entender de onde vem os nossos impulsos, pra gente conseguir mudá-los. Quer ver?

Você acha que vale a pena gastar 500 reais toda vez que aparece um casamento pra ir só pra aparecer diferente nas fotos do Insta? Mesmo sabendo que a última vez que você usou aquele vestido lindão que você ama e te faz se sentir maravilhada foi num outro casório há 6 meses?

Quando a gente coloca a pergunta assim fica meio óbvio que gastar o seu rico din din num vestido novo não faz tanto sentido assim, né?

Pois bem. Antes de embarcar pro Brasil na semana passada eu me confrontei com essas exatas perguntas. O casamento era de uma das minhas melhores amigas. Desses eventos que a galera toda vai e todo mundo conhece o meu armário de cabo a rabo.

E eu tenho orgulho em dizer que olhei pra dentro do meu armário, catei um vestido que eu tenho há 8 anos (!!!) e fui com ele. Já tinha usado o bichinho diversas vezes antes e inclusive já postei ele por aqui, mas ele me faz me sentir deusa e, como era longo e em lurex meio brilhoso, era super adequado ao casamento à noite.

Pra não me sentir igualzinha a todos às outras vezes que usei a mesma roupa, investi num cabelo solto bem liso (coisa que eu nunca faço pra casamentos) e mandei um bocão vermelho (que eu nunca pensei que ficaria tão bacana com o preto e dourado do vestido).

Vestido_de_casamento

No dia seguinte, olhei as fotos do evento que tomaram conta do meu feed. Me ví em cada uma delas e me senti MUITO GATA! Mais do que isso, me senti espertíssima por não ter cedido ao impulso de comprar um vestido novo.

Mas mais importante do que tudo isso, ví uma criatura feliz da vida, que não parou de dançar um minuto e foi uma das últimas pessoas a ir embora da festa. Tudo isso a bordo de um vestido velho, porém incrível, que eu já tinha usado várias vezes e comprovado o quanto é confortável.

Então, minha gente, essa é a minha lição de hoje (tipo final de episódio do He-Man). Quando chegar aquele convite de casamento, respire fundo e pergunte a si mesma: “Eu REALMENTE preciso de um vestido novo?” Eu te garanto que 90% das vezes a resposta será não.