Os meus 5 momentos preferidos do Golden Globe Awards 2018
9 de Janeiro de 2018 POR Jojo COMENTA AQUI!

Domingo rolou Golden Globe Awards, uma das maiores premiações de Hollywood que reconhece a excelência de trabalhos realizados no cinema e na TV no último ano.

A verdade é que Hollywood sempre deu muito mais importância ao Oscar, mas com as produções feitas para a TV ganhando cada vez mais relevância e investimento (e atraindo cada vez mais histórias interessantes e atores de peso), o Golden Globe rapidamente começou a ganhar cada vez mais visibilidade.

Eis que chegamos nessa edição específica do Golden Globes. A edição de Janeiro de 2018. A edição depois de um 2017 com não um, nem dois, nem três, mas dezenas de casos de assédio sexual na indústria da TV e do cinema vindo à tona (teve Harvey Weinstein, Kevin Spacey, Louis CK e Dustin Hoffman, só pra dar alguns exemplos).

Antes mesmo de qualquer celebridade pisar no tapete vermelho, já se sabia que o evento esse ano seria mais do que uma premiação, mas uma plataforma de protesto. Nas semanas que precederam a premiação, diversas atrizes anunciaram que atenderiam ao evento vestidas de preto e, usando a hashtag #WhyWeWearBlack, trataram de gerar visibilidade para os abusos sexuais no ambiente de trabalho, não só na indústria do cinema, mas em tantos outros segmentos.

E assim foi. Quem ligou a TV no domingo viu um tapete vermelho coberto de preto. Com atrizes aproveitando a oportunidade para  fugir do já tão criticado foco nos looks durante esse tipo de premiação, para falar de coisa séria. E o tapete vermelho foi só o começo. A mulherada colocou a boca no trombone, quebrou protocolo e ofereceu protagonismo a iniciativas como a Time’s Up, um fundo recém-criado para apoiar vítimas de abuso no ambiente de trabalho.

Pela primeira vez na história, uma premiação de Hollywood foi tomada por uma série de demonstrações de que as coisas estão realmente mudando. E precisam continuar mudando porque ainda não estamos nem perto de ter chegado lá.

Então, se você não conseguiu assistir à transmissão, eu selecionei os meus momentos preferidos pra gente ver juntas por aqui. Bora?

1. A DEBRA MESSING EM ENTREVISTA NO TAPETE VERMELHO

Antes mesmo da premiação começar, a Debra Messing (amada Grace do seriado Will & Grace), numa entrevista à uma repórter do canal E, mencionou o quanto ela ficou surpresa ao saber que esse mesmo canal não apoiava a igualdade de remuneração para homens e mulheres. Semanas antes, Catt Sadler, repórter da emissora tinha pedido demissão após descobrir que seu colega de programa ganhava o dobro do seu salário.

Eva Langoria também mandou mensagens de apoio à Catt.

2. AS ACOMPANHANTES DE PESO

Diversas atrizes (incluidno Meryl Streep e Amy Poehler) convidaram ativistas de diversos movimentos relacionados a defesa da igualdade de gênero para serem suas acompanhantes no evento. Mulheres que dedicaram suas vidas à causa de garantir oportunidades iguais para homens e mulheres no mercado de trabalho.

Emma Stone levou a lendária jogadora de tênis Billie Jean King como sua acompanhante. Billie Jean foi a maior tenista de sua geração e lutou dentro e fora das quadras por igualdade de remuneração para homens e mulheres. Fora das quadras ela se tornou uma ativista pelos direitos da comunidade LGBT.

Michelle Williams, nomeada pela sua atuação em All The Money in the World, levou como acompanhante Tarana Burke, a criadora do movimento #MeToo que encoraja mulheres a compartilharem suas histórias de abuso como forma de dar visibilidade ao problema que assola mulheres de todas as idades e níveis sociais.

3. O MONÓLOGO DE ABERTURA DO SETH MEYER

O comediante Seth Meyers foi o anfitrião da noite e não fugiu da pauta da noite em seu monólogo de abertura. Seth abriu seu discurso dando boa noite às senhoras… e aos senhores que ainda restavam na platéia. Ele então fala sobre como 2018 é finalmente o ano em que a maconha é legal e abusos sexuais não são.

Sem perder o bom humor, Seth fez piada com os nomeados, dizendo que o evento seria a primeira vez em alguns meses em que não seria aterrorizante ouvir seus nomes lidos em voz alta. Ele ainda convocou a Oprah a se candidatar à presidência dos EUA e apresentou Saru Jayaraman, ativista, advogada e presidente do Restaurant Opportunities Center United (que protege os direitos de imigrantes nos EUA) que foi ao evento com a Amy Poehler.

Pra finalizar ele chamou atenção pra todos os trabalhos da indústria do cinema que não estavam naquela platéia, mas que trabalham pra caramba e não ganham a mesma visibilidade.

3. A NATALIE PORTMAN ANUNCIANDO OS INDICADOS A MELHOR DIRETOR

Natalie Portman não se conteve ao apresentar os indicados (todos homens) na categoria “Melhor diretor”. Na hora de anunciar os nomes dos diretores, a atriz mandou um: “E agora, a lista de APENAS HOMENS indicados na categoria de melhor diretor.” Enquanto seu colega ria um riso constrangido, Natalie se manteve firme e séria, mostrando que não tava brincando não.

4. STERLING BROWN RECEBENDO O PRÊMIO DE MELHOR ATOR EM UMA SÉRIE DE DRAMA

Em meio a todo esse por igualdade de gêneros e segurança no ambiente de trabalho, foi lindo ver também uma outra pauta ser levantada. Sterling Brown foi o primeiro ator negro a receber o prêmio de melhor atuação em uma série de drama.

Em seu discurso ele fala sobre a importância de ter papéis escritos para pessoas negras, que só podem ser atuados por pessoas negras, para que finalmente negros possam ter visibilidade na sociedade.

5. O DISCURSO INCRÍVEL DA OPRAH

A Oprah recebeu o prêmio Cecil B de Mille que reconhece o conjunto de seu trabalho ao longo da vida. E, claro, em seu discurso Oprah deu um show. Foi lindo, emocionante e super empoderador. Não vou nem dar spoiler, clica aí pra ver tudinho.

É isso, minha gente! Teve algum outro momento que vocês amaram da premiação? Outros que vocês não curtiram? Conta aí pra mim nos comentários. O importante é manter o papo rolando.

 

  • Shamya Azevedo

    Infelizmente, não assisti a premiação. Esse discurso da Oprah foi foda demais!! Que coisa mais linda…