Os YouTubers que me ensinam todos os dias a ter mais empatia
1 de Março de 2018 POR Jojo COMENTA AQUI!

Eu nunca fui muito de ver vídeo no YouTube. Eu sou da geração que cresceu na frente da TV. Começou pelos desenhos da Disney e a obsessão pela Xuxa, passou pela Sessão da Tarde, Malhação, novelas e Fantástico aos domingos. Aí vieram os canais pagos, Friends (amor eterno), Sex and the City (amor eterno #2) e, eventualmente, eis que o Netflix aparece em minha vida e toma conta da P*&$A toda.

Durante muito tempo, o Youtube pra mim era lugar de ver bobagem no trabalho. Aquele vídeo do senhorzinho das uvas. Ou aquele outro em que o Dimitri descobre que é sexta-feira. Mas de uns tempos pra cá, eu passei a ver o YouTube de outra forma.

A chavinha virou na época que eu comecei a pesquisar o trabalho de alguns YouTubers como forma de inspirar o conteúdo lá do meu canal. E eis que eu descobri um mundo. Um mundo de gente maravilhosa, cheia de conteúdo e MUITO diferente de mim. E isso me fascinou. Eu fiquei simplesmente viciada em descobrir YouTubers que não só me trouxessem conhecimento, mas que me trouxessem um outro ponto de vista sobre a vida.

Depois de um tempo eu percebi que o maior poder do YouTube é esse. Ser um gigantesco gerador de empatia. Quando alguém entra na tela do meu computador pra me contar sobre a sua vivência de uma forma tão genuína, eu presto atenção, me coloco no lugar dela, tento ver a vida pelos olhos dela. E isso me faz descobrir e aprender tanta coisa.

Eu sou branca, magra, heterossexual, sem filhos. Mas vendo gente como a Natali Neri, a Alexandra Nunes, a Louie Ponto, a Helen Ramos, eu consigo começar a tentar me colocar no lugar delas. Consigo enxergar, através da vivência delas e do que elas me contam, o preconteito e as dificuldades que mulheres diferentes de mim, deja por serem negras, gordas, lésbicas ou mães, passam todos os dias e que eu, aqui da minha cadeira de branca-magra-hetero-sem filhos nunca passei e talvez nem tenha parado pra pensar que existiam.

Então esse post aqui é pra te convidar a ver essa ferramenta que é o YouTube dessa mesma forma. Como uma janela para aquelas vidas que são diferentes da sua, e que por isso mesmo, tem tanto a te ensinar.

Eu uso o YouTube dessa forma e isso só me traz coisas boas. E esse post de hoje é pra te apresentar (se é que você já não conhece) algumas das pessoas incríveis e iluminadas que eu sigo por lá. Bora?

NÁTALY NERI DO AFROS E AFINS

A Nátaly do canal Afros e Afins é talvez um dos seres mais iluminados que eu encontrei por essa internet (e pela vida). A Nátaly é o mulherão da P&%RA por trás do canal Afros e Afins, em que ela fala sobre negritude, feminismo negro, moda sustentável e beleza. E eu aprendo tanto com essa criatura!

A post shared by Nátaly Neri (@natalyneri) on


Pra começar, a Nátaly é MUITO inteligente. Essa moça é estudante de Ciências Sociais da USP, uma das universidades mais concorridas do Brasil. Nátaly tem conteúdo de sobra. Mas o que a torna fascinante mesmo é como ela é capaz de falar sobre coisas complexas de um jeito que todo mundo entende.

Com ela eu aprendi sobre apropriação cultural, colorismo e sobre as razões por trás da necessidade de um feminismo negro, só pra mencionar algumas das coisas que essa moça me ensinou.

TIA MÁ

Maíra Azevedo se descreve como preta, gorda e nordestina. Ela é jornalista, mas brilha no YouTube com seus vídeos que falam sobre coisa muito séria, mas são regados a um bom humor que é só dela.

A post shared by Maíra Azevedo (@tiamaoficial) on

Ela é tão maravilhosa que os vídeos nem tem edição. É ela mesma, dentro do carro, falando pro celular. E nada disso importa, porque o conteúdo, a informação, a fala é tão maravilhosa que o resto fica todo em segundo plano. Ela me incentivou a ter consciência dos privilégios de ser branca e me apontou (em mais de um vídeo) o racismo do dia a dia, esse que muitas vezes a gente nem se dá conta de que comete.

Tia Má é vida. É generosa por compartilhar comigo suas vivências e me fazer refletir. E ainda tem aquele sotaque que me faz me encontrar comigo mesma.

LOUIE PONTO

Eu nem sei como esbarrei com a Louie nesse mundo digital, mas desde que ela me chamou pela primeira vez pra pegar um café e sentar pra conversar, eu nunca mais parei de ouvir o que ela tinha pra dizer.

A post shared by Louie Ponto (@pontolouie) on

A Louie fala sobre feminismo, questões LGBT e um tanto de outras coisas que eu nunca tinha parado pra pensar (e olha que eu penso em muita coisa!).Ela já me explicou sobre como é crescer não se encaixando no estereótipo feminino, sobre as dificuldades de sair do armário pra família e sobre apagamento lésbico. E essa moça fala com tanta firmeza e seriedade que, mesmo com sua voz doce, é impossível não parar, prestar atenção e levar super à sério o que ela diz.

XANDA NUNES DO ALEXANDRISMOS

Alexandra Nunes, ou simplesmente Xanda para os mais de 180 mil inscritos no canal Alexandrismos. Eu AMO ouvir a Xanda falar. Pra começar, ela é uma comunicadora nata. Fala super bem, é super antenada e tem um sotaque carioca que faz o meu coração ficar quentinho.

Em seu canal, Xanda fala sobre auto-aceitação e sobre o que significa ser uma mulher gorda nos dias de hoje. A Xanda me abriu os olhos pra tantas dificuldades que as pessoas gordas passam no dia a dia e que, muitas vezes, as impedem de ocupar espaços na sociedade. De roupa que não cabe, à cadeiras de avião ou cintos de segurança desconfortáveis. A Xanda me falou sobre fetichização da mulher gorda, sobre os efeitos perversos de bullying e piadinhas de mau gosto e sobre como se amar é um exercício diário.

HELEN RAMOS DO HEL MOTHER

Vocês já devem estar carecas de conhecer a Hel de tanto que eu já falei dela por aqui. Aliás, se você ainda não viu a minha entrevista com ela, clica aqui pra ver agorinha.

A post shared by Helen Ramos (@helmother) on

A Hel, ou Helen Ramos, é o ser humano iluminado por trás do canal Hel Mother, onde essa moça fala de sua vida como mulher e mãe do Caetano. Nem sei dizer o quanto a Hel me fez evoluir como pessoa. Eu sempre quis ser mãe, mas percebi vendo seus vídeos que não estava nem de longe consciente do que aquele desejo implicava. Eu tinha uma ideia absolutamente romantizada da gravidez e da maternidade e ouvir a Hel falar me fez ver muito além dos contos de fadas e comerciais de margarina.

Hoje me sinto mais preparada pra essa etapa da maternidade (que continuo querendo pro meu futuro). Mas, além disso, me sinto mais preparada para ajudar amigas que estão passando por essa etapa agora. Hoje sei o quanto é importante se manter por perto, oferecer ajuda, chamar pra sair e não colocar a pessoa numa caixa “mãe” porque elas são muito mais do que isso.

ISABELLA E FELIPE

Você já ouviu falar em relacionamento poliamorístico? Eu confesso que NUNCA tinha ouvido falar disso até esbarrar com a Isa e o Felipe nesse mundo digital.

A post shared by Felipe Luz (@felip_) on

Os dois cariocas, moram juntos e há alguns anos decidiram começar a publicar vídeos diários. Sim, minha gente, eles publicam vídeos todos os dias. A maior parte deles sobre a vida dos dois em São Paulo, a rotina de trabalho, as festinhas no apê, os passeios gastronômicos pelas feiras de rua da cidade.

A janela pra vida dos dois é tão intíma e verdadeira que chegou um momento, sem eles terem que falar nada, que ficou claro pra todo mundo que seguia o casal, que eles tinham um relacionamento poliamorístico, que permitiu que os dois se relacionassem e até namorassem outras pessoas.

A post shared by Felipe Luz (@felip_) on

Os questionamentos sobre a natureza da relação dos dois foram tantos, que eles fizeram um vídeo só pra esclarecer as dúvidas dos seguidores, começando pela diferença entre relacionamento aberto e relacionamento poliamorístico.

Desde então, eu sigo atenta ao que esses dois têm pra me ensinar. Apesar de estar num relacionamento monogâmico, aprendo diariamente com eles sobre tolerância e sobre o que é realmente importante numa relação: confiança, parceria e respeito.

LORELAY FOX DO CANAL PÁRA TUDO

Danilo, publicitário, criou sua persona drag há anos atrás, mas ganhou fama quando trouxe Lorelay para a internet, mais precisamente para o YouTube. Hoje, Lorelay e Danilo habitam o mesmo canal, com alguns vídeos sendo estrelados pela diva e outros sendo estrelados pelo divo.

A post shared by Lorelay Fox (@lorelay_fox) on

O que eu amo é como o Danilo usa a Lorelay para constantemente quebrar estereótipos sobre o universo drag. Ao contrário da ideia que a gente tem sobre drags, Lorelay é calminha, fala baixinho, e sobre assuntos muito sérios como preconceitos com portadores de HIV, as dificuldades de ser um gay afeminado ou a aceitação da família.

Adoro também como ele aparece de vez em quando, se montando e se desmontando, ajudando a desmistificar o universo drag, mostrando que, por trás da personagem, tem uma pessoa, um cara bacana, inteligente, articulado.

MARIANA XAVIER DO MUNDO GORDELÍCIA

A Mari é atriz da Globo e já passou por poucas e boas em sua profissão justamente por fugir do padrão de corpo pregado pela mídia como “perfeito”. E foi essa jornada que fez com que essa moça maravilhosa chegasse até nós, usando o YouTube como sua plataforma para incentivar meninas e mulheres a se amarem do jeito que são.

Ela já entrevistou um bando de outros YouTubers bacanas (Caio Braz, Maira Medeiros e Daiana Garbin só pra citar alguns) e os papos são sempre super informativos.

Mas talvez meu vídeo preferido dela tenha sido o tour pelo corpo (iniciativa da Luiza Junqueira do canal Tá Querida) em que ela nos leva a conhecer todos os cantinhos do seu corpo, ajudando a normatizar o corpo de pessoas gordas. Nesse vídeo, ela fala sobre os pedaços do corpo que ela curte e outros, como a barriga, que ela não curte tanto. E tudo bem. A gente não precisa amar cada pedacinho do nosso corpo. A gente pode ter partes preferidas e partes que, se a gente pudesse, a gente mudaria. E isso não invalida a militância dela sobre a auto-aceitação. O importante é a gente não deixar que esses pedaços do corpo que a gente não curte nos impeçam de fazer alguma coisa (como ir à praia, usar uma determinada roupa, ou se relacionar com alguém). E eu achei tudo isso maravilhoso.

LUCA DO TRANSDIÁRIO

O Luca é um homem trans que resolveu documentar sua jornada no canal Transdiário. Eu nunca conheci um homem trans, então, quando esbarrei com o canal do Luca, devorei cada vídeo na tentativa de compreender melhor o universo dele.

A post shared by Luca Scarpelli (@transdiario) on

Pra começar, o Luca é um querido e fala com clareza e honestidade sobre sua trajetória. Adoro o vídeo em que ele fala sobre o machismo na transição, quando ele teve a sensação de ter sido incluído num grupo de homens e viu em primeira mão, certos comportamentos masculinos em relação às mulheres e o que isso fez ele sentir. Tem vídeo sobre a mastectomia dele, sobre como lidar com o sexo com um trans e até sobre peckers (se você não sabe, entra lá no canal do Luca que ele te explica).

MANDY CANDY

A Mandy é brasileira vivendo na Coréia e só isso já faz o conteúdo dela ser super interessante. Ela sempre fala sobre a vida dela por lá, desde o que ela come, até onde ela mora e como se relaciona com coreanos. Mas, em cima de tudo isso, a Mandy é uma mulher trans e isso rende uns outros tantos vídeos super interessantes em que ela fala sobre sua vivência, transição e relacionamentos.

A post shared by Mandy Candy (@mandycandyreal) on

Fora isso, a Mandy é linda e divertidíssima. Mesmo quando o assunto é sério, ela consegue adicionar sua pitada de bom humor. E isso com certeza é uma das maiores qualidades que uma pessoa pode ter, né não?

Viu quanta gente linda tem nesse YouTube? E quanta coisa maravilhosa a gente pode aprender usando essa ferramenta pro bem, como uma maneira de entender o ponto de vista do outro? E que tal trazer isso pra vida da gente de uma forma geral?

E se você já usa o YouTube dessa maneira, conta pra mim quem que são as pessoas que você segue na plataforma? Coloca aí nos comentários pra gente poder descobrir mais e mais gente maravilhosa.

Pra finalizar esse post, deixo aqui o último vídeo dessa rainha do YouTube que é a Jout Jout. Mais uma lição que essa mulher me dá e mais uma prova de que há muita sabedoria nessa internet. Basta abrir os olhos e saber pra onde olhar.